OLÁ....SEJAM BEM VINDOS!!!!!...

Queridos professores, alunos, amigos, visitantes e parceiros profissionais..

Este Blog é composto de vários tipos de textos, dentre eles: Textos Pessoais, científicos, religiosos e textos históricos.

MATÉRIAS COMENTADAS: Psicopedagogia, filosofia, teologia, sociologia, educação, cultura, lazer, diversão, pensamentos, reflexões, dicas de beleza, receitas.......e meus monólogos.......

UMA VISÃO CRÍTICA DA REALIDADE...

Este Blog espera ser um espaço de liberdade de expressão para todos os admiradores e que acompanham o desenvolvimento da educação no Brasil. Aqui discutiremos, constantemente como os povos e sociedades ao longo de toda a história da humanidade, lutam em busca de melhorias na educação, enfim, ambiente de conversas sobre usos dos novos meios de informação e comunicação em educação.
Espero ansiosa suas colaborações e acima de tudo sua criticidade objetiva.
Ressaltando que, alguns textos e imagens aqui postados não são de minha autoria, se são seus, ou se você conhece autoria, entre em contato que ficarei feliz em dar os devidos créditos.
A leitura e a reescrita das temáticas sugeridas neste blog, serão para todos nós instrumentos de avaliação, onde educador e educando se relacionarão, e aperfeiçoarão seus conhecimentos e experiências cognitivas.

Entre e fique a vontade.
Boa navegação e pesquisa.

Psicopedagoga : Maria Maura

Contato:
marimaura@hotmail.com
marimaura@gmail.com




terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

A maior de todas as rãs


Dizia-se a maior rã de todas as rãs que havia no mundo.
Realmente, era grande. Grande e luzidia, no charco onde habitava, mais nenhuma bicheza se lhe comparava em tamanho. Também, para além da rãs, só havia mosquitos. - Sou o maior bicho do reino animal - dizia a rã gorda, que nunca tinha saltado para fora daquele charquinho de nada, nem uma única vez. As outras rãs não quiseram contrariá-la. Também eram pouco viajadas. - Além de ser o maior bicho do reino animal, sou o mais forte, o mais corajoso, o mais bonito, o mais inteligente, o mais… Quando ela se punha com esta discursata, adeus. As outras rãs mergulhavam, para não terem de ouvi-la. Até que, um dia, foi beber ao charco um boi. A sombra dele toldou o Sol. - Venha ver, colega, um bicho tamanhão, mil vezes maior do que a sua gabarolice - disseram à rã matulona as colegas rãzinhas, a estremecerem de riso. Ela já o tinha visto, mas fez de conta que não ligava. - Se eu quiser, fico do tamanho dele ou até maior - disse. - O meu volume está muito concentrado, querem ver? As outras queriam. Puseram-se à roda dela, a gritarem: - Cresça e apareça. Cresça e apareça. A rã gorda fez-lhes a vontade. Engoliu ar e a pele do ventre distendeu-se. - Mais, mais - gritaram as outras rãs, como se estivessem num circo. Ela inspirou mais e mais, que até parecia uma câmara de ar ou um colchão de praia. - Ainda mais - incitavam-na as colegas. A rã já tinha a forma de um balão. Nada que se parecesse com um boi, mas nunca se vira rã tão batoque como ela. Tinha a pele de tal forma esticada que se lhe via tudo por dentro. - Mais, mais - gritavam as outras. E ela, naquela vontade de ser maior do que um boi, engoliu mais ar, tanto, tanto que rebentou. Pum! O boi assustou-se e fugiu. As rãs enfiaram-se para dentro de água, nem que tivesse acabado o mundo. Quando a calma regressou ao charco, voltaram à superfície, numa grande excitação. Não falavam de outra coisa senão daquela rã presumida que quisera igualar-se a um boi. Ainda hoje é a conversa preferida das rãs, quando coaxam umas com as outras, em noites de Lua Cheia.

Nenhum comentário: