OLÁ....SEJAM BEM VINDOS!!!!!...

Queridos professores, alunos, amigos, visitantes e parceiros profissionais..

Este Blog é composto de vários tipos de textos, dentre eles: Textos Pessoais, científicos, religiosos e textos históricos.

MATÉRIAS COMENTADAS: Psicopedagogia, filosofia, teologia, sociologia, educação, cultura, lazer, diversão, pensamentos, reflexões, dicas de beleza, receitas.......e meus monólogos.......

UMA VISÃO CRÍTICA DA REALIDADE...

Este Blog espera ser um espaço de liberdade de expressão para todos os admiradores e que acompanham o desenvolvimento da educação no Brasil. Aqui discutiremos, constantemente como os povos e sociedades ao longo de toda a história da humanidade, lutam em busca de melhorias na educação, enfim, ambiente de conversas sobre usos dos novos meios de informação e comunicação em educação.
Espero ansiosa suas colaborações e acima de tudo sua criticidade objetiva.
Ressaltando que, alguns textos e imagens aqui postados não são de minha autoria, se são seus, ou se você conhece autoria, entre em contato que ficarei feliz em dar os devidos créditos.
A leitura e a reescrita das temáticas sugeridas neste blog, serão para todos nós instrumentos de avaliação, onde educador e educando se relacionarão, e aperfeiçoarão seus conhecimentos e experiências cognitivas.

Entre e fique a vontade.
Boa navegação e pesquisa.

Psicopedagoga : Maria Maura

Contato:
marimaura@hotmail.com
marimaura@gmail.com




domingo, 21 de dezembro de 2008

FELIZ NATAL!!!!


Paz na terra, entre todos os homens de boa vontade.
Paz àquele que anseia crescer, evoluir, entender.
Paz àquele que deseja em cada pensamento, em cada atitude, se melhorar.
Paz àquele que mergulha, dentro do próprio ser, a busca de entendimento, de aceitação. Paz àquele que estende a mão a procura de bênçãos.
Paz àquele que abençoa com alegria e pureza de coração.
Paz àquele que em um sorriso traz calma, tranqüilidade, equilíbrio.
Paz àquele que procura ensinamentos e que através do pensamento, neste momento único em que todos os homens se irmanam, ao dobrar dos sinos, esteja em oração.
Paz àqueles que abrem seus corações em luzes puras, amorosas,à estrela so natal, que ela brilhe, suspensa no espaço, girando em tons multicoloridos, iluminando todo o infinito, abrandando aflitos...
Paz enfim Senhor, a todos os seres que habitam este universo e que rimam amor e dor...
Que a luz se faça e que refaça em todos os homens a fé renovadora, a força e a coragem, a inteligência, a razão.
Que os homens se irmanem na escalada da perfeição.
Que se unam em pensamento todos os de boa vontade.
E que nesta noite busquem a Paz.
Um feliz natal, de paz e harmonia, é o que lhes deseja essa sua amiga.
FELIZ NATAL!!!!

sábado, 20 de dezembro de 2008

Evoluir??? Sempre!!!


"Quando alguém evolui,

também evolui tudo ao seu redor".

Quando tentamos ser melhor do que somos,

tudo a nossa volta também fica melhor.

"Você é livre para escolher...

Para tomar decisões,

mesmo que só você as entenda.

Tome suas decisões com coragem,

desprendimento e, às vezes,

com uma certa dose de loucura.

Só entenderemos o universo quando

não buscarmos explicações.

Então tudo fica claro.

Aprender algo significa entrar em contato

com um mundo desconhecido,

onde as coisas mais simples são as mais extraordinárias.

"Atreva-se a mudar"

"Desafie a si mesmo"

"Não tenha medo de provocações"

Insista, uma,

e outra,

e outra vez.

Lembre-se que sem fé,

se pode perder uma batalha que já parecia ganha.

Não se dê por vencido.

Lembre-se de saber sempre o que quer.

E COMECE DE NOVO.

O segredo está em não termos medo de errar,

e de saber que é necessário ser humilde para aprender.

Tenha paciência para encontrar o momento certo e se parabenize com o que você conseguiu.

E se isto não for suficiente...

Analise as causas...

E tente com mais vontade, com mais força.

"O mundo está nas mãos daqueles que tem

a coragem de sonhar e de correr o risco

de viver seus sonhos"

Desejando a todos uma Semana de Sonhos,

e coragem para vivê-los.

Mary

O Otimismo e a Felicidade




O otimista acredita em si, na vida, no sucesso, na felicidade, na sua potencialidade, e seu alto astral o faz sentir-se bem consigo mesmo e com o universo।

E toda pessoa feliz é otimista, pois, ao sentir-se bem consigo mesma, com o universo, com a humanidade e com Deus, está otimizando ao máximo sua vida।

Tenho a impressão, no entanto que a pessoa otimista tem a vida mais ampla do que a pessoa feliz।


Porque a felicidade tem a ver com o dia de hoje, ao passo que o otimismo é hoje e mais amanhã। Ninguém pode ser otimista sem acreditar positivamente no futuro।

Mas a felicidade não pode existir se sobrar na mente qualquer negativismo do passado ou referente ao futuro। Felicidade é luz e a luz não admite trevas। A felicidade abrange o todo da mente e o todo da mente compreende o passado, o presente e o futuro। Só que o passado e o futuro se desfazem sob a ação da luz da felicidade atual. Reconheço a dimensão da Felicidade, tanto que sou otimista feliz. Mas desejo acentuar que o otimismo é o caminho do progresso e da evolução.

Todo otimista cria desejos e projetos e acredita que se tornarão realidade। Se não acreditasse na materialização dos projetos, não seria otimista, mas pessimista। Como, pelo Poder da Mente, todo projeto acreditado infalivelmente se concretiza, fica claro que o otimismo é o caminho do progresso e da evolução।

Como, porém, a felicidade é a essência do ser humano, o otimismo é a razão de ser da pessoa। Cada qual é o que for a sua mente: Mente feliz, pessoa feliz।Mas, sem realizações, a vida e o indivíduo não vão para frente।

E sem felicidade a pessoa também não avança। Pelo contrário, se esvaem em depressão, desânimo e frustrações।
Faço aqui uma reflexão, tão comum entre as pessoas sofridas, que enfrentam enormes dificuldades। Dizem que o otimista é um sujeito fora da realidade, um sonhador estéril: sonha com casa própria, mas vive debaixo de uma ponte; imagina-se num carrão do último tipo, mas bate sola de sapato pelas estradas da vida.
Discordo totalmente....

É que são poucos os que conhecem as leis que regem a vida humana। Uma coisa é sonhar sem acreditar na realização e outra coisa é sonhar e acreditar que todo sonho pode e deve tornar-se realidade.Esta é a diferença que faz a diferença.
Uns usam a palavra apenas para expressar a realidade e outros a usam para criar a realidade। A sabedoria está em saber que o mundo exterior nada mais é do que a materialização do mundo interior.
Portanto, é necessário que se crie antes na mente aquilo que se deseja realizado। Isto faz o otimista. O legítimo otimismo é o caminho dos sábios.
Assim como a felicidade nasce na mente e se expressa na vida, da mesma forma o otimista cria na mente o que espera realizar-se na sua vida।
Quero fazer-lhe a observação que mais freqüentemente se ouve por aí a respeito da felicidade। Falam que a felicidade não existe। Há filósofos, poetas, escritores, e até teólogos, que sustentam que a felicidade não existe. Entendem que a vida é cheia de sofrimentos, de carências, de privações, de desgraças, de desenganos e isso é incompatível com a felicidade, já que não pode haver um infeliz feliz.
O fato é que muitos procuram a felicidade nos fatores externos a si, como a casa, o dinheiro, o carro, a compreensão dos outros, a bondade alheia, a pessoa bonita, assim por diante। Tendo em vista que é difícil ter domínio sobre o mundo exterior, frustram a toda hora। Felicidade, porém, é estado mental. Como somente a própria pessoa tem acesso à sua mente, a felicidade depende única e exclusivamente de si mesmo. Basta criar na mente o estado de felicidade e o subconsciente reagirá de acordo. Este é o caminho simples e fácil da felicidade do ser humano. Indiscutivelmente, cada um é o que é sua mente. Logo, mente feliz, vida feliz. Simples.
Otimismo não é questão de sorte, como pensam certas pessoas। Trata-se do cumprimento da Lei pela qual todo pensamento acreditado se torna realidade física।

O mesmo ocorre com a felicidade। Também é o cumprimento da Lei pela qual todo pensamento de felicidade, desde o unívoco, produz a felicidade।
É por isso que toda pessoa feliz é otimista।
E é por isso que todo otimista é feliz ।
Mary































terça-feira, 16 de dezembro de 2008

EFFETUS

Do latim "Effetus": cansado, esgotado; mas também nascido, produzido...

Belíssima frase de chamada do blog de meu amigo Tony, advogado, poeta, maravilhoso.....pego-a emprestada para abrilhantar minha página também.....
Beijos..... Tony

domingo, 14 de dezembro de 2008

Amizade


Um filho pergunta à mãe:

Mãe, posso ir ao hospital ver meu amigo?

Ele está doente!

Claro, mas o que ele tem??

O filho, com a cabeça baixa, diz:

Tumor no cérebro!

A mãe, furiosa, diz:

E você quer ir lá para quê? Vê-lo morrer?

O filho lhe dá as costas e वाई...

Horas depois ele volta Vermelho de tanto chorar, dizendo:

Ai mãe, foi tão horrível, ele morreu na minha frente!

A mãe, com raiva: E अगोरा!

Tá feliz?! Valeu a pena ter visto aquela cena?

Uma última lágrima cai de seus olhos e, acompanhado de um sorriso,ele diz:

Muito, pois cheguei a tempo de vê-lo sorrir e dizer:

EU TINHA CERTEZA QUE VOCÊ VINHA!


Moral da história: A amizade não se resume só em horas boas,alegria e festa।Amigo é para todas as horas, boas ou ruins,tristes ou alegres।CONSERVEM SEUS AMIGOS! O VALOR QUE ELES TÊM NÃO TEM PREÇO!!.....


Desconheçओ autoria



sábado, 1 de novembro de 2008

Homossexualidade e sexualidade na Bíblia


O desafio de qualquer tratado exegético no campo da sexualidade ou da homossexualidade é sua capacidade de alcance e compreensão dos fatores culturais, éticos e religioso que formam a cultura de um povo। Tentar aprofundar uma reflexão neste campo significa poder penetrar todas as esferas de um conjunto de crenças, costumes, leis e tradições, dentro das quais são traçados os perfis de um “modus vivendi”। É preciso reconhecer que aqui se constitui a dificuldade maior. Sempre que alguém volta para o passado, os arquétipos atuais e sua visão da história cultural podem condicionar sua pesquisa e volta ao passado. Nosso estudo visa oferecer uma reflexão sobre as questões da sexualidade e homossexualidade, como contributo para uma visão desta temática na Bíblia.

A homossexualidade é conhecida na linguagem antiga como uranismo[1] = inversão genital। Na tradição mitológica antiga eram conhecidos dois tipos de “uranismo”: a) a inversão artificial, que significava apenas um vício da relação homossexual; b) a inversão-perversão, considerada uma degeneração mental। Dentro destes dois campos, há inclinações para o homossexualismo com rejeição ao sexo oposto e há outra forma de homossexualismo que é a indiferença ao sexo oposto. Para estes, a vida sexual normal produz um cansaço, repulsa e até impotência. A partir desta situação, instala-se um comportamento genital anômalo. O amor uranista (invertido) é uma caminhada normal, na esfera psíquica, uma vez que ele possui todas as fantasias, caprichos, bem como paixão e violência. Na prática, no entanto, se efemina nos homens e se masculiniza nas mulheres. Estudos revelam que a vida sexual pervertida dura enquanto subsistir a força genital.

As origens do homossexualismo permanecem desconhecidas, mas a mitologia antiga já conhecia esta forma de comportamento। Platão definia três formas de ser humano: a) o homem; b) a mulher; c) o heterógino। Na composição do ser humano, ainda dentro da mitologia helenista, os seres tinham duas faces, quatro mãos, quatro pés, dois sexos, cada qual na posição inversa (era um duplex). O ser cujos dois sexos fossem masculinos era homem; os dois sexos femininos era mulher e havia uma terceira opção, que tinha um sexo masculino e outro feminino (heterógino). Assim fazia-se a explicitação da homossexualidade dentro da cultura grega. Uma briga de Zeus com os humanos provocou o castigo dos mais fracos. Zeus tomou os humanos e os partiu pela metade, misturando suas partes. Daquele momento em diante, cada parte busca sua outra metade no desejo de reconstruir a felicidade original[2]. Os que tinham os dois sexos masculinos, .procuram outro homem como sua metade original; os que tinham os dois sexos femininos, buscam uma mulher e os que tinham dois sexos diferentes, procuram o sexo oposto para realizar seu complemento.




O homossexualismo é conhecido igualmente nas culturas romana e judaica। No código de ética judaica, o comportamento homossexual era considerado um desvio de conduta gravíssimo, sofrendo penalidade capital: “Se um homem se deitar com outro homem como se fosse com uma mulher, ambos cometem uma perversidade e serão punidos com a morte – são réus de morte” (Lv 20,13)। Na cultura romana, o apóstolo Paulo faz referência a este estado ético que, para seus esquemas mentais, era uma afronta ao estado natural: “Por isso, Deus os entregou às paixões aviltantes: suas mulheres mudaram as relações naturais por relações contra a natureza; do mesmo modo os homens, deixando a relação natural com a mulher, arderam em desejo uns para com os outros, praticando torpezas homens com homens e recebendo neles mesmos o preço da sua aberração” (Rm 1,26-27)। Desta forma, nota-se a antigüidade do homossexualismo. A cultura grega cria mitos para explicar esta forma de comportamento. A cultura romana cria leis jurídicas para coibir a incidência destes casos e o judaísmo estrutura um código de ética que insere a pena máxima. No entanto, a homossexualidade, independentemente de aceita ou condenada, constitui-se, ainda hoje, um fenômeno obscuro, uma trilha sinuosa e sem saída.

A educação familiar é o elemento primário na formação de uma sociedade। É na esfera familiar que se encontram os resquícios de uma moral doméstica। Esta configura uma compreensão da pessoa, homem ou mulher, no seu comportamento social. A paidéia (educação) grega procurava integrar os indivíduos numa forma comum de compreensão e visão de família, sociedade e mundo. Numa afirmação de Diógenes, a educação é graça para o jovem, consolo para o ancião, abundância para o pobre e ornamento para o rico (Diógenes, Laertius, vi, 68)[3]. Para muitos mestres antigos era preferível ser cego do que não ser educado ou poder freqüentar uma academia. Na dimensão helenística do pensamento, a educação conduz à virtude, e esta torna-se uma arma que jamais pode ser abandonada ou perdida (Diógenes, Laertius, vi,12-13)[4].

As sociedades antigas, especialmente as ocidentais, pregavam uma moral familiar monogâmica। No entanto, quer na Grécia antiga e mesmo na tradição judaica, eram conhecidos os costumes de um homem ter uma mulher oficial e muitas concubinas, as quais moravam sob o mesmo teto e tinham os mesmos direitos que a mulher oficial। Os filhos desta conviviam com os filhos das concubinas sem diferenças, com a única restrição de que, salvo exceções, os filhos das concubinas não herdavam bens diretos[5]. O adultério pesava sempre sobre a mulher, uma vez que para o homem esta prática era um certo direito.

A administração doméstica

A teoria da oikou nomia (lei da casa) foi educando a mulher para uma esfera interna do lar, ainda que, como escrava, ela tivesse que cultivar os campos e tomar conta dos rebanhos (cf। Ct 1,5-6)। “Tanto quanto possível, as moças eram separadas dos rapazes e cultivadas em suas casas na absoluta ignorância de tudo o que se passava no mundo”[6]। A mulher nas culturas antigas era educada a não se inteirar dos assuntos do marido, nem mesmo das relações comuns entre as famílias. “Quando a família recebia um convite para visitar outra, os homens e as crianças podiam ir, mas, salvo exceções, as mulheres ficavam em casa. E quando os homens tinham uma mulher como convidada, em sua casa, a esposa não podia participar da companhia”[7].

A educação religiosa na família

A moral doméstica determina, aos poucos, a moral religiosa। Diante de situações concretas e existenciais nascem imperativos morais que se transformam em padrões de comportamento religioso। Muitas vezes, dentro de uma conflitividade pessoal ou comunitária acontece o surgimento de uma apocalíptica religiosa, uma certa luta entre as forças divina e humana, entre a fé em Deus e os temores de Satã। Nestes tumultos existenciais, muitas vezes, elaboram-se as teses principais da Transcendência, de Deus e do ser humano[10]। Na esfera religiosa, a tradição veterotestamentária encontra a reforma de Esdras (Esd 9-10), que institui a lei da raça pura e os direitos de divórcio pelos mesmos motivos. Abre-se, a partir do séc. IV aC, uma ruptura ainda maior na sociedade judaica quanto à segregação dos sexos e ao tratamento da mulher. Aos poucos, esta forma de procedimento passa a tomar o caráter de cultura, sendo introjetado na educação religiosa familiar e comunitária. 3. A educação social – a sexualidade da mulher a serviço do Estado: Na esfera social, a sexualidade está muito vinculada ao casamento, às relações familiares referentes à pratica do casamento e à finalidade última das relações sexuais. No mundo helenístico são encontrados diferentes conceitos, de acordo com as escolas de pensamento e também de acordo com os períodos históricos. Uma teoria pregava o casamento para os “maduros”, descartando os outros: “Para o jovem, ainda não; para o velho, não mais”. Na esfera social, a mulher estava a serviço do Estado, enquanto ela emprestava seu corpo para gerar filhos para a guerra, para a defesa do rei e para a guarda dos palácios dos nobres (Cf 1Sm 8,11ss)[11]. O casamento, na teoria platônica, tinha como finalidade principal gerar filhos para o Estado. A finalidade do matrimônio era apenas homologar a legitimidade dos filhos na relação sexual. Os filhos das concubinas e as próprias concubinas participavam em tudo da vida familiar, mas não tinham os mesmos direitos que as mulheres oficiais e os filhos das mesmas[12]. Na esfera social, a mulher recebia um espaço que não era espaço. Ela tinha uma área de comando (os cuidados da casa e dos filhos) que não era poder. Ela, dentro de casa ou fora dela, dependia sempre do seu esposo. Por isso, a estrutura social criava uma separação e segregação dos sexos, que não era outra coisa senão submissão[13].

A sexualidade a serviço de इन्तेरेस्सेस

Todas as culturas antigas incentivavam o casamento e condenam, paralelamente, o celibato e a esterilidade. O casamento servia para evitar aquilo que nenhuma aceitava: o lesbianismo e o homossexualismo, ainda que presentes em todas elas. O celibato masculino e mais ainda o feminino era mal visto, em virtude destes perigos. Para evitar que jovens indecisos retardassem sua opção pelo casamento, os gregos criavam as gymnopedias (danças nuas). Essas danças provocavam os jovens a assumirem o matrimônio na fase central de sua juventude. Pesavam sobre esses interesses os temores dos desvios da सेक्सुँलिदादे

Sexualidade = manipulação e frustração

Em sociedades onde a formação dos jovens está nas mãos de interesses, a sexualidade sofre perturbações e desvios। O livro dos Ct é o melhor exemplo bíblico das manipulações da sexualidade determinadas pelos interesses familiares ou políticos। De um lado temos a ganância dos irmãos, os quais não se perguntam se a irmãzinha vai ser feliz ou não, mas se perguntam pela quantia que podem ganhar. Do outro está o rei – ou os ricos – que, com seus direitos de semideus, pode pedir qualquer moça para seu harém no palácio[18]. Qualquer moça que esteja num átrio de concubinas será sempre uma concubina. O amor pode vir misturado com o vinho, licores e perfumes, mas a cama na qual ele se complementa no ato sexual, será sempre a expressão da exploração, será sempre uma cama fria[19]. O beijo, manifestação sensível do amor, expressão do desejo da paixão[20], não será manifestação de alguém que ama, mas de alguém que explora. Se os perfumes, fragrâncias e vinhos criam um ambiente de deleite, sensualidade e ternura (Ct 1,3; Ez 16,8; 23,17; Pr 7,18), a frieza do amor pode produzir o desconforto, o tédio e a frieza sexual.

O confinamento dos sentimentos e o homossexualismo

A felicidade não pode ser comprada ou vendida। A antropologia do amor perpassa todas as esferas e estruturas do ser humano। É preciso deixar que o amor, a afetividade e a sexualidade acordem no seu tempo correto (Ct 8,4)। Despertar a sexualidade de modo interesseiro, usá-la para ter proveito econômico ou por interesse provoca distúrbios comportamentais na vida.

Conclusões:

A questão da homossexualidade está ligada a um conjunto de fatores que envolvem o problema da afetividade e sexualidade। A homossexualidade é uma realidade presente em todos os tempos e culturas। Ela resulta de algum fenômeno biológico, mas se transforma numa fonte de ciúmes. A moral judaica condena a homossexualidade (Lv 18,22), como condena a esterilidade, o onanismo e o celibato por não gerarem filhos e não prolongarem a descendência (Gn 15,15; 16,1; 1Sm 1,3-7; Sl 127,3). Toda a relação sexual deve ter como meta procriar. O ato sexual não pode ser compreendido como prazer carnal, mas como ato gerador de vida. A sexualidade é um fator integrador da personalidade e das expressões da pessoa na sua relação com a sociedade. Em qualquer aspecto que ela se desintegre, ela compromete o convívio comunitário e social.








segunda-feira, 27 de outubro de 2008

A desigualdade entre os gêneros sexuais



A desigualdade entre os gêneros sexuais é notória. O preconceito que tange o tratamento que, até os dias atuais, é dispensado à mulher é inquestionável. Esta específica desigualdade, no entanto, não é a única existente na sociedade. O desequilíbrio em relação às perspectivas de direito, que decorre de uma desigualdade absolutamente egoísta, que privilegia alguns एम् detrimento de outros, assola inúmeros outros gêneros .


ARISTÓTELES censurava os espártacos por sua tolerância com as mulheres, inclusive atribuiu a decadência de Esparta à liberdade que se deu às mulheres। A mulher era proibida de sair de casa; era privada do direito a instruir-se (estudar). Em nada participava que fosse vida pública. Era, a mulher, tão desprezada,...A mulher igualava-se a um objeto qualquer, pois vendia-se e comprava-se em mercados específicos. Na Grécia Antiga, a exceção era Esparta, onde a mulher desfrutava de uma situação pouco melhor, devido à ocupação permanente dos homens nas guerras.A mulher não tinha o direito à propriedade, pois ela própria era propriedade do homem, e por isso não era dona nem das suas roupas! Às vezes, um homem presenteava seu amigo com uma mulher (escrava)!


A repressão que ao longo dos tempos se instalara em relação à mulher, sofreu forte golpe a partir do final do século XIX. As brutalidades às quais foi o sexo feminino submetido fez eclodir um movimento emancipatório suscitado em todos os cantos do planeta. Não tardou para que muitos direitos da mulher fossem reconhecidos. A Nova Zelândia estendeu o direito ao voto para as mulheres, em 1.893, a Alemanha em 1.918, a Suécia em 1.919, os EUA em 1.920, o Canadá em 1.940, a China em 1.949, a Índia em 1.950, o México em 1.953, Suíça em 1.971, Iraque em 1.980 e a África do Sul em 1।994. No Brasil, o direito ao voto feminino somente foi inserido na Constituição de 1.934, durante a era Vargas.


As dificuldades, porém, em se obter a igualdade tão almejada pela mulher, ainda persistem, o que deixa sinalizado que é longo o caminho a ser percorrido até que ela seja conquistada em sua plenitude.


*********Marimaura**********

domingo, 26 de outubro de 2008

Uma meditação para a vida real


Uma meditação para a vida real da humanidade, requer de todo cidadão uma ótica pautada na igualdade, até porque os sentimentos do ser humano deve ser levando em conta em primeiro lugar।


Meditando sobre a vida, sobre a importância benéfica da meditação coletiva para anular as vibrações mentais nocivas lançadas no Universo:


“Você sabe o que acontece com as vibrações mentais ruins, tais como a ira, o ódio, a hostilidade, o rancor, o ressentimento etc।, que às vezes a sua mente emite?


Essas vibrações mentais destrutivas, em vez de se desfazer, vão se espalhando em várias direções do Universo, do mesmo modo que os vapores d’água não desaparecem e se espalham pela atmosfera।
अ força da mente é uma espécie de energia। E, de acordo com o princípio da conservação da energia (segundo o qual a energia não pode ser destruída, mas sim transformada), as vibrações mentais não se apagam e, temporariamente, espalham-se em várias direções। Assim, as vibrações mentais de ira, ódio, despeito, hostilidade, maldição etc।, emitidas pelas pessoas, espalham-se por toda parte do mundo, assim como os vapores d’água sobem da superfície da Terra e se espalham pela टेरर।
अत्मोस्फेरा।
E, do mesmo modo que os vapores d’água espalhados na atmosfera, ao alcançarem determinada altitude, juntam-se, condensam-se e formam nuvens, as vibrações mentais nocivas, hostis e destrutivas acabam agrupando-se por afinidade e tornam-se um perigo para a humanidade। (...) "Para evitar tal catástrofe, é preciso neutralizar e afastar essas ‘nuvens’ destrutivas, e o melhor meio para conseguir isso é esforçarmo-nos ao máximo para cultivar o amor, que é o sentimento oposto ao ódio, à hostilidade, à ira, ao rancor e a outros de natureza destrutiva। (Seicho-No-Ie )
"Para efetuar uma mentalização conjunta em prol do bem-estar da humanidade Independentemente da sua opção religiosa ou filosófica com mentalização,todos os dias, façam uma meditação, mentalizem palavras de amor e paz, reflita sobre tudo o que você fez durante o dia, agradeça ao criador pelo dom da vida, pelos sentidos em perfeiçao, existem tantas pessoas que não vêem, não falam, não ouvem ,não sentem nada, vivem largados em uma cama de hospital,não conseguem nem levantar a mão, enquanto que nós temos tudo em perfeito estado, cerca de cinco minutos de suas orações ou práticas meditativas que realizam todos os dias”।


Participemos desta corrente visando neutralizar todas as vibrações negativas que pairam sobre a Terra e propõe-nos a realização de uma Oração Conjunta de Amor à Humanidade।Para participar, basta que, independentemente do local onde esteja, todos os dias, no horário das 18 horas (6 da tarde), realize por alguns instantes a सेगुंते oração:


O Amor de Deus preenche toda a face da Terra e desfaz todos os sentimentos contrários ao amor. Todos os povos do mundo são vivificados pelo Amor de Deus e amam-se uns aos outros. A partir deste momento, não haverá mais vibrações destrutivas como a ira, o ódio, o rancor e a hostilidade”.




sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Quatro pilares da educação do futuro:


A UNESCO, em seu Programa Aprender para o século XXI, como muitos de nós já sabemos, enfatiza quatro pilares da educação do futuro:


Aprender a conhecer;


Aprender a atuar,


Aprender a viver juntos;


Aprender a ser।


Entretanto, com a ousadia e coragem de propor, elaborei um outro pilar para o conhecimento: APRENDER A AMAR। Neste trabalho discuto que precisamos, todos, redimensionar nossas ações e práticas cotidianas, com o expresso desejo de nos colocarmos em postura amorosa com o mundo, conosco mesmo e com os outros. Um texto, de autoria por mim desconhecida, encaminha este pensar:


Dorme em mim,

Desperta em mim, brota em mim,

Morre em mim, nasce em mim।

Meu corpo é seu templo।

O amor faz em mim morada:

Sem o amor minha vida é nada।

Sem amor, eu sou só, ninguém।

Sua luz brilha em meus olhos,

Seu perfuma exala em meus poros,

Suas flores enfeitam minha estrada।

Hoje eu desejo, compreendo e quero,

Que todo o mundo entenda:

Sem o amor, não há saída,

Não há como se ter VIDA।”


A Interconectividade necessária na teia da vida।

“A realidade é mutável, pulsante, abre-se e fecha-se।


(...) abre-se com uma palavra, com um gesto,com uma decisão, com um ato, e fecha-se com algo que se perde”.J.D. Nasio


Que sejamos construtores da paz !

Que sejamos éticos, capazes de transformar a sociedade com atitudes de amor !

Que o diálogo seja uma das grandes ferramentas para a promoção da PAZ .









quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Cultura de Paz


A Declaração dos Direitos da Criança, proclamada em 20 de novembro de 1959 pela Assembléia Geral das Nações Unidas, constitui uma enumeração dos direitos a que, segundo o consenso da comunidade internacional, faz jus toda e qualquer criança। Aos pais, às organizações voluntárias, às autoridades locais, aos governos e a todos os indivíduos, apela-se no sentido de reconhecer os direitos enunciados visando ao empenho efetivo para sua concretização e observância।


A Declaração dos Direitos da criança

A Declaração dos Direitos da Criança, proclamada em 20 de novembro de 1959 pela Assembléia Geral das Nações Unidas, constitui uma enumeração dos direitos a que, segundo o consenso da comunidade internacional, faz jus toda e qualquer criança। Aos pais, às organizações voluntárias, às autoridades locais, aos governos e a todos os indivíduos, apela-se no sentido de reconhecer os direitos enunciados visando ao empenho efetivo para sua concretização e observância।


A Declaração dos Direitos da Criança Abordando a cidadania para a conquista da paz, Milani (2000) aponta as restrições decorrentes de uma postura reativa, na qual cobram-se direitos e exigem-se soluções de problemas sociais pelo governo, ressaltando a necessidade de se exercer uma cidadania proativa, definida como uma postura individual caracterizada pelo exercício consciente de seus direitos e deveres, pela participação ativa no processo de busca de melhorias coletivas e pela responsabilidade para com tudo o que afeta a sua vida e/ou as vidas de outras पेस्सोअस

A declaração dos direitos da criança aborda

A Declaração dos Direitos da Criança Abordando a cidadania para a conquista da paz, Milani (2000) aponta as restrições decorrentes de uma postura reativa, na qual cobram-se direitos e exigem-se soluções de problemas sociais pelo governo, ressaltando a necessidade de se exercer uma cidadania proativa, definida como uma postura individual caracterizada pelo exercício consciente de seus direitos e deveres, pela participação ativa no processo de busca de melhorias coletivas e pela responsabilidade para com tudo o que afeta a sua vida e/ou as vidas de outras pessoas.
A paz passa a ser construída nas ações e interações cotidianas, das mais simples às mais elaboradas, envolvendo as relações consigo, com o outro e com o ambiente, caracterizando um movimento não reduzido ao ‘combate à violência’, mas ampliado à ‘promoção da cultura da paz’.


Psicopedagogia em ação


A Psicopedagogia é um campo de atuação em Educação que lida com o processo de aprendizagem humana: seus padrões normais e patológicos considerando a influência do meio - família, escola e sociedade - no seu desenvolvimento, utilizando procedimentos próprios da Psicopedagogia
Todos sabemos dos péssimos resultados em educação no Brasil। Nosso paradigma tem sido regido pela "tríade sagrada" Piaget-Freire-Vygotsky com participações menos vigorosas de outros modelos. Você considera que existe relação de causa e efeito entre este paradigma e os resultados ruins? Ou seja, será que os resultados obtidos por anos de aplicação destes meios está relacionados com os resultados?


O que é mais importante em uma escola: matérias e conteúdo ou que o aluno aprenda a pensar?




Com tantas opções de escolas e propagandas que parecem não diferenciá-las, os pais vêem-se diante de inúmeras dúvidas. O que levar em conta quando se fala de ensino? O que vale mais: a escola dos conteúdos, cuja meta principal é o ensino de conceitos, com uma pesada carga de informação ou aquela que privilegia o pensar, o refletir do aluno? Esse questionamento ocorre porque as famílias demonstram incoerências e mudam sua postura ao longo dos anos. Quando as crianças são pequenas, os pais se encantam com propostas de ensino em que seu filho se expresse, busque respostas, questione. À medida em que o tempo passa, começa surgir uma espécie de desconforto: "onde estará o conteúdo? Será que essa escola preparará meu filho para o vestibular? O colégio era ótimo quando meu filho era pequeno, mas agora, não atende às necessidades" dizem os pais.Pensar no futuro é refletir sobre o presenteO que significa preparar bem uma criança ou adolescente para o mundo que virá? O que é prioritário? Para responder a isso, não é necessário nenhum exercício de futurologia. Simplesmente leve em conta o mundo de hoje, com suas velozes e profundas transformações e o que ele tem exigido de todos, pessoal e profissionalmente. Não se esqueça de que educação é um processo gradativo e a longo prazo. O que for plantado, desde cedo, germinará posteriormente. Por isso, é importante que haja uma certa coerência, ao longo dos anos, quanto a aspectos básicos.


A partir de uma determinada fase da vida de seus filhos, os pais começam a se preocupar com o futuro। A escola, embora seja o momento inicial desse percurso, representa a base do que virá posteriormente e o mercado de trabalho torna-se uma das grandes preocupações das famílias. Quando procuram por bons profissionais, as empresas esperam: autonomia, flexibilidade, rapidez na busca de soluções, criatividade, dinamismo, iniciativa, espírito de liderança, trabalho em equipe, experiência prática na área de atuação, persistência, visão geral de outras áreas, fluência em idiomas, conhecimento tecnológico, entre outras tantas. Ufa! São palavras que delineiam um profissional quase perfeito.


A maioria dessas expressões não remete ao conhecimento acadêmico, formal, em que o volume de conteúdo seja o ponto de referência। Mesmo porque, mais importante do que a informação propriamente dita é saber que o profissional tem condições de chegar a ela. A escola deveria ser o espaço para desenvolver habilidades de pesquisa, que abrangem o onde e o como buscar, a leitura crítica e eficiente, selecionando dados, a capacidade de estabelecer relações, comparações, deduções. Enfim, habilidades que tornem seu filho autônomo na busca pelo conhecimento.


Maria Maura







quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Soberba e Arrogância !!!


Muitas vezes somos levados a nos apropriar da arrogância e da soberba no afã de mantermos intactos os nossos propósitos।


O que é a arrogância?

Seria algo bom, algo útil, que nos possa propiciar benefícios?
Ao examinarmos a Palavra de Deus podemos chegar a conclusões que saltam à nossa imaginação। Podemos ver que Deus odeia a arrogância, pois na sua Palavra temos: “…a soberba e a arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu odeio”(Pv. 8:13).


O homem pode viver arrogantemente, agindo soberbamente, porque tem sobre si o livre arbítrio concedido por Deus.

No entanto, chegará um dia em que tudo cairá por terra, conforme vemos nas profecias do Profeta Isaías: “E a arrogância do homem será humilhada, e a sua altivez se abaterá, e só o SENHOR será exaltado naquele dia”(Is। 27). Ainda temos: “E visitarei sobre o mundo a maldade, e sobre os ímpios a sua iniqüidade; e farei cessar a arrogância dos atrevidos, e abaterei a soberba dos tiranos”(Is. 13:11).

A arrogância isola o homem dentro de seu grupo, tornando-o soberbo, altivo, cheio de si mesmo e nesse caminho o homem perde a sua identidade social e o resultado será o fracasso sem que haja quem o ajude a se levantar.
Ser arrogante é ser inaceitável, insuportável, inconseqüente, naufragado na densa escuridão da solidão que somente tristezas e dissabores trazem ao homem. Lançar mão desse recurso é algo tão perigoso como mergulhar num profundo abismo de incertezas, onde não se sabe onde vai chegar।


O que significa soberba?

arrogância, orgulho, presunção, vaidade, vanglória।


A soberba é a tendência de um indivíduo para um modo de vida caracterizado por grandes despesas supérfluas e pelo gosto da ostentação e do prazer.Seus bens são seu modo de existência pessoal e, em conseqüência, sua vida essencial.Pode ser associada à luxúria, altivez e apresenta certo nível de presunção exagerada para com bens materiais. Freqüentemente um indivíduo com essas tendências também apresenta vaidade e arrogância, juntamente com orgulho demasiado pelas próprias capacidades e eventuais realizações, sempre associadas aos bens tangíveis, ao luxo.
Em qualquer dos casos, recomendamos que se buscasse o equilíbrio, evitando-se os exageros, os extremismos, para não correr o risco de mergulhar no mundo cruel da arrogância, levando-nos a um círculo vicioso que longe está de nos orientar em nossa vida.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Viva um dia de cada vez...


Doação de Órgãos, Amor além da vida!!!


Os órgãos da adolescente Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, devem beneficiar pelo menos cinco pessoas que aguardam na fila de transplantes, de acordo com informações da Secretaria Estadual de Saúde do estado de São Paulo.

A família autorizou a doação dos órgãos após ser constatada a morte encefálica da garota na noite do sábado (18)। Eloá foi atingida com um tiro na cabeça, na sexta-feira (17), após ter sido feita refém por 100 horas pelo ex-namorado Lindemberg Alves, de 22 anos.
O coração foi o primeiro órgão a ser retirado da jovem e já foi transplantando em uma mulher। Segundo os médicos, a operação foi um sucesso. A paciente que recebeu o órgão faz aniversário hoje, o presente mais lindo que ela já recebeu na vida. A dor de uns fazem a alegria de outros, mas a partir do momento em que a família de Eloá decidiu doar seus órgãos , decidiram que ela continuaria viva em outras pessoas,.........é o amor além da vida, da vida de uma garota , que morreu e poderá dar vida a 05 pessoas, é o maior ato de amor humano.



Dentre os sublimes avanços da medicina, na incessante busca de amenizar sofrimentos físicos, das pessoas, um que tem se mostrado dos mais vitoriosos é o que cuida dos transplantes de órgãos। E, obviamente, para que haja um transplante de órgão, há que haver, precedendo-o, sua disponibilidade.

A utilização de órgãos de doadores tem sido a solução mais promissora para o problema da demanda excessiva. O problema inicial foi o estabelecimento de critérios para caracterizar a morte do indivíduo doador. A mudança do critério cardiorrespiratório para o encefálico possibilitou um grande avanço neste sentido. Os critérios para a caracterização de morte encefálica foram propostos, no Brasil, pelo Conselho Federal de Medicina através da resolução CFM 1480/97. Na doação de órgãos por cadáver muda-se a discussão da origem para a forma de obtenção: doação voluntária, consentimento presumido, manifestação compulsória ou abordagem de mercado. Existem hoje no Brasil, diversas Associações Médicas, ONGs e movimentos independentes que trabalham incansavelmente para melhorar esse panorama.
Grande polêmica em torno deste projeto reside na doação presumida de órgãos, doar um órgão é um ato de amor e solidariedade Além de ser, esta, uma verdadeira educação para a vida e para a cidadania। ... A maior prova de amor é doar a vida a seu irmão. ...


Levando a chama da conscientização na busca de um mundo melhor...

Doar órgãos é um ato de amor e solidariedade...Quando um transplante é bem sucedido, uma vida é salva e com ele resgate-se também a saúde física e psicológica de toda a família envolvida com o paciente transplantado।Doar órgãos é um ato de amor, solidariedade, respeito à vida e até de desapego, porque muita gente tem o discurso do medo..... medos religiosos... Enfim doar os órgãos é um ato de amor, de desprendimento, de consciência e de multiplicação da vida। Afinal a partir dos órgãos que já não servem mais a quem estiver morto, várias vidas poderão ser salvas e recomeçar... ।Não só de amor, mas de responsabilidade social.Isso deveria ser uma obrigação de todo cidadão. Deveria virar lei, muitas leis são criadas...

Hoje, o corpo humano valoriza-se extraordinariamente e todos os seus elementos se tornam sinônimo de esperança e solidariedade। Torna-se dia a dia mais utilizável por outrem, mais capaz de contribuir para que corpo de outrem possa tratar-se, ou muitas das vezes salvar-se. Não se limitando a uma mera intervenção terapêutica (pelo menos na óptica do doador) os transplantes refletem importantes questões éticas em torno da experimentação do corpo humano, das próprias decisões políticas em matéria de saúde, e num campo mais vasto, coloca-nos questões fundamentais em torno do principio da dignidade humana.

A posição da Igreja Católica acerca da doação de órgãos de pessoas com morte encefálica comprovada classifica a atitude “um gesto de amor fraterno” em favor da vida e da saúde। “Trata-se de uma prova de solidariedade, grandeza de espírito e nobreza humana”

A afirmação de uma cultura da vida e da solidariedade

Do ponto de vista da fé cristã, a doação de órgãos se inscreve entre aqueles atos cujo sentido profundo é afirmar uma cultura da vida e da solidariedade। Órgãos vitais que se corromperiam em cadáver são ofertados e transferidos para salvar vidas e comunicar saúde e alegria de viver। Estabelece-se, assim, uma corrente de vida que confronta a morte, como os meios que nos são possíveis.
Ato de amor
Quando alguém se dispõe a ofertar seus próprios órgãos, ou quando parentes autorizam a retirada de órgãos para transplante, estamos diante de ato de amor, cuja motivação é a solidariedade e o interesse de salvar e promover a vida. Um órgão corporal é sempre algo que faz parte da pessoa, mediação pela qual a personalidade espiritual se realiza e se manifesta. Não se trata de coisa simplesmente material, como se fosse objeto qualquer. Antes, trata-se de parte do corpo através da qual a dimensão espiritual do ser humano se realiza e se expressa na vida. Doar um órgão não é simplesmente doar "alguma coisa", é ofertar algo de si. Ora, estamos diante daquilo que é a expressão maior do amor, "dar a própria vida" para que outros tenham vida, Disso, o modelo acabado é a doação total de Jesus (cf। 10,
Somos o corpo de Cristo


Por que seria estranho doar e receber órgãos se, como nos ensina o Apóstolo Paulo, somos membros uns dos outros, constituindo o único Corpo cuja cabeça é o próprio Cristo? (cf। 12, 12-27). O mundo criado, segundo o propósito divino, já foi estruturado para realizar-se como um complexo "organismo" solidário do qual todos os seres são partes integrantes, irrigadas por um misterioso dinamismo de unidade da pluralidade (cf. Cl 1, 15-19) e impulsionadas num processo que as dirige à consumação dessa mesma unidade, conforme nos ensina a Carta aos Romanos cap. 8, 18-25.

A afirmação da "comunhão dos santos"
Outro elemento fundamental da fé cristã é a negação da "individualidade" como algo separado em relação aos demais seres humanos e do universo। É claro que somos, de algum modo, uma "coisa" ao lado de outras coisas. Nesse sentido, somos "indivíduos", com fronteiras definíveis em relação a outros elementos do universo. Mas, ao mesmo tempo, somos parte de um todo. Entre cada qual de nós e a totalidade do universo há uma profunda ligação de "parentesco" e de complementaridade. O ser humano é feito do mesmo tecido do mundo. A novidade é que em nós o mundo material toma consciência de si mesmo. Somo o mundo que sabe de si (inteligência) e é capaz de abrir-se ao diálogo (amor). Enquanto pessoas somos essencialmente relações entre nós e com a totalidade do seres. O "milagre" humano é que, mediante o corpo, estabelecemos vínculos de intimidade e de presença no próprio interior de outros seres humanos. Para a fé cristã isso é a "comunhão dos corpos", isto é, ninguém está isolado, estamos misteriosamente vinculados umas pessoas às outras e com o universo, de tal modo que formamos um único todo. A eventual presença de órgãos de alguém em outrem é inteiramente coerente com essa convicção profunda de que não há nem um ser que esteja separado dos demais. Na verdade, o universo é uma complexa e variada combinação de energia. As fronteiras entre os corpos, aparentemente tão nítidas, têm muito de ilusão. De fato, estamos todos os seres em continuidade profunda, como se o universo fosse um grande e único "corpo".

Critérios de ética médica
Portanto, do lado de quem doa, ofertar órgãos para transplante é um dos gestos de mais alta expressão ética, pois é gesto de amor e de afirmação do valor da vida। Mas não basta doar, faz parte de nosso dever de cidadania zelar para que critérios de ética médica sejam preservados: qualquer órgão só pode ser retirado de alguém se o próprio doador o consentir, ou, em caso de morte, se parentes ou pessoas responsáveis derem claro consentimento; a doação tem de ser gratuita, a própria palavra o diz, não podendo ser degradada a transação comercial, pois, além de não se tratar de mercadoria, isso poderia ter terríveis conseqüências, como se pode verificar no comércio clandestino de órgãos, alimentado inclusive pelo assassinato deliberado até de crianças; a escolha das pessoas receptoras tem de obedecer a critérios objetivos, sendo prioritários a necessidade, o grave risco de vida e a posição na "lista de espera", do contrário, se cairia facilmente na malha de sistema de privilégios, inclusive financeiro; para a retirada de órgãos é preciso que seja confirmada a morte da pessoa doadora, de acordo com os parâmetros estabelecidos pela ciência médica - atualmente, a morte encefálica.
Não há muito que dizer sobre isso, apenas que a ignorância leva a tomada de decisões erradas e preconceituosas por parte do doador e da família, que não procura saber nem se interessa em se informar sobre a importância da doação de órgãos e tecidos। Ler es notícias me alertam sobre a necessidade de informar e convencer meus familiares sobre a doação de meus órgãos e tecidos caso isso seja possível, portanto, se você se considera um doador, não se iluda deixando isso por escrito ou registrado em algum lugar, quem decide isso é a sua família, converse com एल्स...
Sem dúvidas que sim, pois se ele não pode viver, que outra pessoa possa se beneficiar da existência dele no mundo... Acho que é o mínimo a ser feito, pois mesmo diante da dor da perda de um ente querido, temos que pensar que outras pessoas também estão sofrendo, contudo para elas ainda resta uma esperançअ.

Não é uma decisão fácil para a família, mas se pensar em quantas vidas pode salvar acho que o sim é bem +mais provável. é preciso muita coragem e altruísmo para se doar um órgão de um parente que acaba de falecer, e não podemos nos esquecer dos doadores vivos que abrem mão de si mesmos para salvar uma vida, que Deus abençoe a todos eles.Coragem para esta família e outras em situações parecidas.

sábado, 18 de outubro de 2008

Amor ou Obsessão???...


“Só por hoje eu sou a pessoa mais importante da minha vida”
Alguns sentimentos e atitudes, quando vêm à tona com freqüência e com muita intensidade, revelam que o amor pode estar se transformando em uma obsessão।

Nos jornais e noticiários não se fala em outra coisa a não ser o seqüestro de um garota… Ela foi sequëstrada pelo ex-namorado, e que não estavam juntos a um mês…juntamente com ela a amiga। Mas o que será que deve ter causado a ação deste Rapaz? Será Amor? Não, não … existem loucuras no amor mas acho que não chega a causar isso, talvez já tenha virado uma obsessão… Pena que este rapaz não tenha consciência do que ele faz, pois se tivesse, estaria tentando reconquistá-la demonstrando seu amor... ou tentando esquece-la, percebendo que o amor acabou ou nem mesmo nasceu...Mais um romance passional.... que pena que terminou de uma forma tão trágica, que DEUS ilumine a todos os envolvidos na tragédia......isso não é amor..........

1 Sentir-se completamente responsável por outrapessoa, pelos seus sentimentos, pensamentos, necessidades, ações, escolhas, vontades, bem-estar e destino.
2 Sentir ansiedade, pena e culpa quando as pessoas amadas têm problemas.
3 Sempre querer agradar aos outros em vez de agradar a si mesma.
4 Buscar desesperadamente amor e aprovação.
5 Tolerar abusos e nãoexpressar suas emoções para não perder o amorde outras pessoas.
6 Ignorar seus problemas, desejos e necessidades ou fingir que as circunstâncias não são tão ruins.
7 Acreditar que alguém não pode viver sem você.
8 Tentar controlar eventos, situações e pessoas por meio da culpa, coação, ameaça, manipulação e conselhos, assegurando que as coisas aconteçam como você quer.
9 Sentir que precisa fazer muitas coisas para ser aceito e amado pelos outros.
1 0 Dizer sim quando quer dizer não।

Várias vezes pensei nesse assunto e diria até que é um dos temas que mais move a filosofia.O amor é um sentimento de doar-se ao outro, mas sempre respeitando os limites de tudo. O amor é aquele sentimento onde tu és de certa forma desapegado à pessoa. Tu a amas quando simplesmente se importa com ela, e quer estar do lado dela, mas sabe que se não der, também não se importa, porque o principal do amor é ver a pessoa amada feliz, ainda que seja com outro. Sei que é meio utópico dizer isso, mas a realidade é que ninguém ama de verdade... Porque o que chamamos de "amor" é um sentimento egocêntrico, apenas "tu" importas, apenas o TEU sentimento, e a tua fantasia de que aquela pessoa é a tua princesa encantada ou o príncipe azul. Eu diria que a nossa concepção de amor é muito distorcida. O verdadeiro amor visa à felicidade da outra pessoa. Deveríamos estar felizes porque quem amamos está feliz.Mas infelizmente não é assim que ocorre... Muita gente confunde amor com obsessão. Aí que vem a obsessão... Quando não conseguimos ser sozinhos ou individuais, quando precisamos sempre do outro pra vivermos nossas vidas. E isso é muito ruim! Imagina... Tu estares sempre na sombra da outra pessoa pra tudo... Não conseguir ser 1, precisando sempre ser 2 para ser completo. Sou a favor da independência. Quanto maior a independência da pessoa com relação ao seu amor, maior será o seu amor.Quando queremos aquela pessoa só para nós, não importando as consequências ou a infelicidade dessa (voltando ao assunto "ego"), isso torna-se uma obsessão, que no final não fará nem bem pra gente mesmo... Enfim... Uma questão na qual eu falaria aqui por horas e mais horas... Diria que o amor remete à independência de ficar feliz com a felicidade do outro. A obsessão remete à nossa dependência de só conseguir ser felizes quando temos tudo só pra gente, o que pode ser chamado de egoísmo.

Obsessão é quando você só pensa naquilo e em mais nada।Obsessão é quando você fica grudada no assunto, ou na pessoa, e a vampiriza.Obsessão é doença.Amor é compreensão, harmonia.,paz,serenidade.E é, principalmente, LIBERDADE!


O amor é vidaA obsessão é morteO amor é liberdadeA obsessão é prisãoO amor é curaA obsessão é doençaAmor é felicidadeA obsessão é a infelicidadeAmor é querer bem ao outro sem oprimí-loA obsessão é opressãoAmor é pensar no outro com saudadeA obsessão é pensar em sí próprio em nome do outroAmor é querer tá com o outro, sem afastá-lo dos demaisA obsessão é querer a pessoa só p/ si.Amor fortalece,enobrece, da cores a vida.A obsessão enfraquece, empobrece e ofusca a vida do amado. Enfim, o amor é tudo...E a obsessão é nada, nada além de nada.!!!Se precisar procure ajudaFreqüente grupos de apoio, que garantem anonimato e têm atendimento gratuito, é um dos caminhos mais eficazes para quem quer transformar seus padrões de relacionamento. Nesse trabalho, as pessoas compartilham suas experiências e apoiam-se mutuamente

Família e sociedade

Vivemos numa sociedade bastante complicada e a todo o momento estamos nos relacionando com os mais variados tipos de pessoas, nos mais diversos ambientes: social, familiar e profissional। Esta convivência acaba sendo desgastante e maravilhosa ao mesmo tempo, pois as diferenças se fazem presentes a todo o momento, havendo necessidade de refletirmos a respeito de alguns valores muitas vezes esquecidos pelo corre-corre agitado: tolerância, paciência, respeito, amizade, empatia, humildade.

Presenciamos na sociedade uma enorme necessidade de autoconhecimento, pois para conviver precisamos saber quem são as pessoas que estão em nosso entorno। A correria do dia-a-dia e a busca desenfreada pelo sucesso profissional acabam tornando os indivíduos insensíveis e impacientes para com tudo e todos.Conviver com as pessoas, seja no trabalho, na sociedade e no ambiente familiar, pode ser maravilhoso, mas pode causar também muitos problemas. Estas relações sociais muitas vezes nos causam estresse, incômodo e desgaste, pois a maioria das pessoas está sem paciência de compreender o outro, tão voltadas para seus problemas pessoais. Este estilo de vida desequilibrado, acaba trazendo para si muitas energias negativas, que acabam se transformando em doenças no corpo físico.As relações sociais estão, por esta razão, tornando-se complicadas. Os comportamentos das pessoas frente às dificuldades acabam desencadeando reações dos mais variados tipos e chegamos a um ponto em que necessitamos refletir sobre nossas ações, parando para escolher qual o caminho que queremos seguir: o da autodestruição ou do autoconhecimento. São muitas as possibilidades para que tenhamos uma melhor qualidade de vida, mas necessitamos dar o primeiro passo e investir nesta mudança.Para tanto, precisamos seguir alguns critérios, como o direito de aprender acolhendo a idéia dos outros, ouvindo e aproveitando tudo aquilo que achamos possível de ser realizado. Aquilo que não é aproveitável, segundo nossa opinião, deletamos e seguimos em frente. Nada de falar mal dos colegas que não estão presentes; a sinceridade deve fazer parte da nossa vida, para que a mudança possa de fato acontecer.Um cuidado redobrado com julgamentos pré-estabelecidos, pois da maneira que julgamos poderemos ser julgados e a aceitação do próximo talvez seja a mais difícil tarefa da humanidade. Por esta razão a inclusão está sendo uma das coisas mais discutidas em nossa sociedade. Este termo inclusão deve abranger não somente os portadores de necessidades educativas especiais, mas todos aqueles que de alguma forma sentem-se excluídos, seja por sua condição sócia econômica, étnica, social, opção sexual ou religiosa. Nossa sociedade quer enxergar somente aquilo que deseja e que não fuja dos padrões pré-estabelecidos por todos. As relações interpessoais são importantes, pois através da convivência com o outro descobrimos a nós mesmos, e percebemos nossos pontos fracos E é no meio familiar que iniciamos todo este processo de reconhecimento do outro e aprendemos a lidar com as futuras situações que acontecerão na nossa vida.Normalmente aquilo que nos incomoda no outro é aquilo que precisamos mudar em nós mesmos. Este conviver com o outro deve ser encarado positivamente, pois toda relação nos beneficia, desde que as vejamos como aprendizagem e uma forma de crescimento pessoal, desta forma, o autoconhecimento se faz necessário.
As famílias quando são solidamente constituídas, independentemente da classe sócio econômica, entorno social ou grau de escolaridade, contribuem de maneira significativa para o crescimento de uma sociedade। As relações entre pais e filhos, irmãos e demais parentes, os conflitos, as regras pré-estabelecidas e a cumplicidade nos tornam pessoas preparadas (quase sempre), para lidar com pessoas fora da nossa zona de conforto com mais segurança.Os indivíduos são únicos e nascem com características próprias que vão sendo moldadas ao longo da vida. Sendo a família o principal alicerce de uma estrutura que nos manterá de pé por muito tempo e se esta base for mal construída, poderemos comprometer nossas relações sociais e possivelmente teremos problemas futuros.Desde o nascimento vamos adquirindo habilidades sociais e estas vão sendo monitoradas por nossos pais, que nos orientam e nos direcionam da melhor maneira possível. Através do aprendizado familiar vamos reproduzindo padrões que serão repetidos em nosso meio social, nos tornando cidadãos prontos para lidar com as dificuldades que surgirão em nossa caminhada.Quanto ao processo do autoconhecimento a única maneira de o fazermos é pararmos para refletir sobre nossas ações diariamente. Todas as mudanças duradouras requerem tempo e muito esforço pessoal. Desta maneira, evitamos a repetição de ações que nos tragam sofrimentos. É necessário saber nossos limites e nos permitir ir até onde não desrespeitemos o espaço do outro. Falar de maneira clara, expor nossas opiniões e não usar de meias palavras.Tudo na nossa vida tem um preço e na maioria das vezes este valor é alto demais, o que demanda dor e sofrimento. Mas este sofrimento deve ser encarado como lição de crescimento e aprendizagem. Não há erros na vida, apenas lições. Não há experiências negativas, apenas oportunidades para crescer, aprender e avançar na estrada do autocontrole. Da luta vem a força. Mesmo a dor pode ser uma professora maravilhosa. (SHARMA, 2002, p.56).Devemos dedicar um tempo diariamente para cuidar de nós mesmos. Mesmo sendo uma prática difícil, quando automatizada, traz muitos benefícios para a nossa vida. Cuidamos de tantas coisas (alimentação, aparência física), mas pouco do nosso interior. Nossa casa mental muitas vezes está entulhada de pensamentos velhos, empoeirados e que nada acrescentam na nossa vida.A mesma capacidade mental que temos para pensar em coisas ruins, temos para pensar positivamente, mas poucos fazem uso deste dom. Para realizarmos qualquer coisa, em primeiro lugar, necessitamos idealizar em nossa tela mental, acreditar e partir para ação. Nada mais prazeroso do que sair da rotina vez por outra, fazer coisas diferentes, sair daquela famosa zona de conforto que tanto nos prendemos, muitas vezes por medo, outras por puro comodismo. A rotina acaba escondendo muitas descobertas que poderiam nos trazer benefícios e um ‘sangue novo’, mas nos negamos a experimentar, ousar, e acabamos não saindo do lugar. Criar exige esforço, mudança de hábitos, posturas diferentes e um autoconhecimento. Com muita maturidade devemos olhar para nós mesmos e nos perguntarmos: como sou? Como sou visto pelos outros? Desta forma encontraremos um equilíbrio entre o “eu” real e o “eu” ideal. O essencial é inatingível, e o Universo devolve tudo o que lhe oferecemos, na mesma medida. Quanto mais amor, generosidade, compreensão e compaixão transmitirmos a nossos semelhantes, mais receberemos energia – em forma de amor, generosidade, compreensão e compaixão – para continuar trabalhando num mundo melhor. (BRANDALISE JR, 2004, p.44).Depois de tomar consciência de nossos maus hábitos, devemos passar a buscar alternativas mais adequadas e ensaiar novos comportamentos até atingir aquilo que chamamos de aprendizagem. O segredo da aprendizagem está no exercício diário das ações, a fim de transformar os novos hábitos e uma rotina positiva e de crescimento pessoal, para que as pessoas que convivem conosco também se beneficiem desta mudança, gerando um campo enérgico saudável e criador. A partir disso, arregaçar as mangas e realizar esta reforma íन्तिमा.
Além das inúmeras lições que ajudam nosso crescimento pessoal, algumas sugestões devem ser diariamente perseguidas por nós. Desenvolver pensamentos positivos e seguir a nossa missão com afinco e determinação, tendo consciência que obstáculos aparecerão, buscando sempre em nós mesmos a razão para seguir em frente, com coragem, persistência e autodisciplina. Valorizar sempre o momento presente, pois ele é um presente dado por Deus. As relações interpessoais e familiares também são de suma importância, cultivando bons relacionamentos, vivendo plenamente um dia de cada vez e, acima de tudo, acreditando em nós mesmo, tendo esperança em um mundo melhor, inclusivo e de pessoas que de fato queiram fazer a diferença.Muitas vezes nos deixamos levar pela energia negativa das pessoas que desacreditam nesta mudança e acabamos sendo simplesmente conduzidos como robôs que não pensam e que apenas reagem às situações. E é contra isso que precisamos lutar. Uma luta árdua, diária e incansável e que só nos traz benefícios, pois o universo conspira em favor daqueles que andam no caminho do bem.

Jeito de Ser

Por fora a menina q muitos julgam॥ Por dentro a mulher q poucos conhecem।
se choras por nao ter visto o pôr do sol; as lagrimas nao te deixarao ver as estrelas.!* Buscai ao senhor Jesus Cristo enquanto se pode achar.Conhecerei a verdade e a verdade vos libertará. Eu não sou qualquer uma. Não sou qualquer tipo de menininha, não sou um estereotipo de garota perfeitinha. Eu sei viver e sei que pra alguém gostar de mim vai ser pelo que eu sou e não por um modelo fútil em suas próprias idéias e princípios. Não sou qualquer amiga de todos, não concorro à miss simpatia nem sou adorada por unanimidade. As pessoas têm o direito de não gostar do meu jeito. Eu não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim, nem que eu faça a falta q elas me fazem. O importante para mim, é saber que em algum momento fui insubstituível, e que esse momento será inesquecível. Quero sempre ter um sorriso estampado no rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre, e que esse sorriso consiga transmitir paz, alegria, para os que estiverem ao meu redor. Quero fechar os olhos e imaginar alguem, e ter a certeza de que esse alguem também pensa em mim, que faço falta. Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou não pelo que tenho, que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos. e??? Mary

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Românticos Assumidos

Namoro, amor, sentimento, sexo, romance, criatividade, honestidade... quais elementos fazem parte do romance?Destituindo a imagem que romantismo tem uma série de regras para ser vivido, o intuito de abordar o romance cotidiano, o platônico, divertido, amargo ou seja lá a forma que cada um encontra para vivê-lo।Eu sou romântico sim, e você?
Para aquelas pessoas que estão longe de seus amores, passam muitos dias sem encontra-lo, que sofrem cada vez que tem q se despedir, que gostariam de ter seus amores ao seu lado todos os dias que não vivem sem elas, ou eles ,mas tem que aguentar a distancia. Creio que toda pessoa já passou por essa situação... de não conseguir se imaginar sem uma determinada pessoa, vindo a ser totalmente dependente dela...E isso não é mais forte do que o amor que eu sinto que você sente, pois o mais importante já aconteceu que foi se conhecerem ficar juntos é questão de tempo...Se o amor que vocês sentem supera até a distancia... então é amor verdadeiroO que importa não é se você está perto ou longe.Amar uma pessoa vai muito alem de dizer "Eu te amo," Amar é um sentimento mais profundo, que ocupa o seu coração, se interfere com seus pensamentos, é uma felicidade na sua vida inexplicavel. E ter um namorado(a) não é apenas poder dizer "Eu tenho um/a namorado/a," é poder ter alguem que te ame, que te dê valor, que cuida de você como você merece. Aquela pessoa que você possa chamar a sua metade, que entende tudo sobre você, Aquela certa pessoa que você pensa em passar o seu futuro.Amar? Amar é muito alem disso. Só quem ama de verdade, poderá entender."Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, porque tudo passa a acontecer dentro de nós."
A vida é o nosso bem mais precioso, é tão forte; sendo capaz de mudar omundo....Mas ao mesmo tempo é tão frágil; capaz de terminar numsegundo...Todos os momentos em nossas vidas são mágicos e cabe a cada umde nós, deixá-los mais marcantes....Seja feliz e faça alguém feliz também!!Estamos todos em busca de: amor, amizade, paz, esperança, afeto, sonhos,etc....Não importa, o que vale mesmo é sermos FELIZES...
Creio que toda pessoa já passou por essa situação... de não conseguir se imaginar sem uma determinada pessoa, vindo a ser totalmente dependente dela...mesmo brigando, sofrendo decepcões, mágoas, o fato é de não conseguir viver sem essa pessoa... por mais que tente esquecer, não sendo possível!

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Um olhar real, olho no olho


UM OLHAR REAL, OLHO NO OLHO
Nada substitui um olhar real, olho no olho, o sentir um carinho na pele, andar de mãos dadas, um abraço sincero. O real não é sucedâneo do virtual, mas no mundo de hoje, as formas de se comunicar mudaram. O conhecimento e a atração entre pessoas se dava com um preponderante elemento visual. Ora era a beleza, ora o charme ou a elegância, ora a inteligência perceptível num determinado encontro social. Homens e mulheres dão importância diferente à beleza no sexo oposto. Enquanto os homens são mais atraídos pela beleza estética, as mulheres parecem dar maior importância a outros traços de personalidde dos homens. Talvez mais perspicazes do que os homens, não se deixam levar por um simples rosto bonito sem conteúdo.Interessante notar como a mudança nas formas de comunicação alteraram este padrão de conduta. Há diversos livros de psicólogos que tratam de relacionamentos surgidos por intermédio da internet. Em outras palavras, pessoas que se conhecem sem se ver. Amizades e namoros surgem entre pessoas que só vão ter contato pessoal e real depois de muitas conversas. O vínculo emocional e afetivo é criado independente contato visual, ou seja, a forma de atração muda e por consequência, a beleza se torna muito mais relativa, pois passamos a conhecer a pessoa como ela é por dentro (antes que alguém alerte sobre os perigos destes contatos, eu sei que há muita mentira e que é preciso ter cuidado, mas partamos da premissa de que as pessoas estão sendo sinceras).


A cidade de Patos de Minas surgiu na segunda década do século XIX


O surgimento da cidade
A cidade de Patos de Minas surgiu na segunda década do século XIX em torno da Lagoa dos Patos, onde segundo as descrições históricas existia uma enorme quantidade de patos silvestres. Os primeiros habitantes foram lavradores e criadores de gado, sendo muito visitados por tropeiros. O povoado, à beira do rio Paranaíba, cresceu, virou arraial e depois vila, a devota vila de Santo Antônio dos Patos.
Em 24 de maio de 1892, o presidente do estado de Minas Gerais eleva a vila à categoria de cidade de Patos de Minas. Em 1943, o governo do estado mudou o nome para Guaratinga, provocando insatisfação na população. Atendendo aos apelos populares em 3 de junho de 1945, muda novamente para Patos de Minas para distingui-lo de Patos da Paraíba, município mais antigo. Seu aniversário é comemorado em 24 de maio, ocasião em que se realiza a "Festa Nacional do Milho".
No início da década de 30, com a ajuda do governador Olegário Maciel, foram construídos simultaneamente a Escola Normal, Escola Estadual Marcolino de Barros, Fórum e o Hospital Regional. Que deram uma dimensão nas áreas de educação, justiça e medico-hospitalar.
No pós-guerra e sobretudo na década de 50, Patos registrou um notável crescimento, que fez o número de habitantes saltar de 64 mil, em 1950 para 97 mil em 1960. Um crescimento que deveria aumentar com a mudança da Capital Nacional para Brasília em abril de 60. Ao invés de uma década de triunfo, uma década de frustração. Principalmente pela emancipação política de dois importantes distritos em 1963: Lagoa Formosa e Guimarânia. Muitos patenses mudaram-se para Brasília. Que reduziu drasticamente a população, cerca de 20 mil habitantes, e o animo do povo.
Na década de 70, raiou a esperança de crescer e o município não perdeu a chance. A construção da BR-050 em 1972, da BR-365 em 1974 e a descoberta de uma gigantesca jazida de Fosfato na Rocinha abriu as portas para o desenvolvimento.
Os gaúchos implantaram suas fábricas de sementes em Patos, Agroceres em 1974, com a atividade reforçada pelo milho híbrido em 1975.
Patos de Minas é um município brasileiro do estado de Minas Gerais.
Está situada na região intermediária às regiões do Mesorregião do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Considerada pólo econômico regional, lidera a microrregião do Alto Paranaíba que é composta por dez municípios. A cidade ganhou projeção nacional através da Festa Nacional do Milho realizada no mês de maio, movimentando vários setores da economia
As suas principais atividades econômicas são a agropecuária e a agricultura.
Patos de Minas ocupa uma posição privilegiada no ranking das cidades mineiras, figurando entre as 20 maiores cidades do Estado de Minas Gerais em arrecadação geral de tributos do estado e a 16ª maior cidade de Minas Gerais em população.
Um levantamento feito pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA) e publicado pela revista Veja em 2001 apontou Patos como o quinto município com maior desenvolvimento socioeconômico, entre 1970 e 1996. Foram pesquisados cinco mil municípios brasileiros, de 50 a 500 mil habitantes. Patos é a décima segunda cidade com maior população do estado de Minas Gerais.
Vários fatores contribuem para o sucesso econômico e social do município, entre eles a localização estratégica, que liga a cidade a grandes centros comerciais como São Paulo, Uberlândia e Belo Horizonte, facilitando o intercâmbio comercial, o desenvolvimento ordenado e a qualidade de vida da população
Agropecuária
A agropecuária é a principal atividade econômica da cidade de Patos de Minas.
A agricultura é bastante diversificada com produção de grãos e hortifrutigranjeiros. Os produtos que se destacam são o milho, arroz, soja, feijão, café, maracujá, tomate e horticultura.
O município e região possuem modernos sistemas de irrigação de lavouras. Patos de Minas é considerada modelo nesse sistema, com destaque até mesmo pelo página da Universidade da Califórnia, EUA.
A bovinocultura possui significativa importância econômica e social para o município, com um rebanho de 180 mil cabeças (levantamento Pref. Municipal - ano 2000). Patos também é considerada pólo nacional de genética suína, detendo 70% da tecnologia nacional em melhoramentos suínos.
O negócio no campo ganhou tanto status por aqui que mereceu recentemente reportagem de capa na Revista Exame (14 de Novembro de 2001) intitulada "Virada no Campo".
Com 442 indústrias e 2.108 estabelecimentos comerciais, o município participa com 0,38% da arrecadação do ICMS no Estado de Minas Gerais. Somando-se a outras receitas, ocupa o 19º lugar na arrecadação geral do Estado. Patos de Minas é tida como referência na prestação de serviços para diversos municípios do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

A cidade de Patos de Minas surgiu na segunda década do século XIX












O surgimento da cidade
A cidade de Patos de Minas surgiu na segunda década do século XIX em torno da Lagoa dos Patos, onde segundo as descrições históricas existia uma enorme quantidade de patos silvestres. Os primeiros habitantes foram lavradores e criadores de gado, sendo muito visitados por tropeiros. O povoado, à beira do rio Paranaíba, cresceu, virou arraial e depois vila, a devota vila de Santo Antônio dos Patos.
Em 24 de maio de 1892, o presidente do estado de Minas Gerais eleva a vila à categoria de cidade de Patos de Minas. Em 1943, o governo do estado mudou o nome para Guaratinga, provocando insatisfação na população. Atendendo aos apelos populares em 3 de junho de 1945, muda novamente para Patos de Minas para distingui-lo de Patos da Paraíba, município mais antigo Seu aniversário é comemorado em 24 de maio, ocasião em que se realiza a "Festa Nacional do Milho"
No início da década de 30, com a ajuda do governador Olegário Maciel, foram construídos simultaneamente a Escola Normal, Escola Estadual Marcolino de Barros, Fórum e o Hospital Regional. Que deram uma dimensão nas áreas de educação, justiça e medico-hospitalar.
No pós-guerra e sobretudo na década de 50, Patos registrou um notável crescimento, que fez o número de habitantes saltar de 64 mil, em 1950 para 97 mil em 1960 Um crescimento que deveria aumentar com a mudança da Capital Nacional para Brasília em abril de 60. Ao invés de uma década de triunfo, uma década de frustração. Principalmente pela emancipação política de dois importantes distritos em 1963: Lagoa Formosa e Guimarânia. Muitos patenses mudaram-se para Brasília. Que reduziu drasticamente a população, cerca de 20 mil habitantes, e o animo do povo.





Na década de 70, raiou a esperança de crescer e o município não perdeu a chance A construção da BR-050 em 1972, da BR-365 em 1974 e a descoberta de uma gigantesca jazida de Fosfato na Rocinha abriu as portas para o desenvolvimento.
Os gaúchos implantaram suas fábricas de sementes em Patos, Agroceres em 1974, com a atividade reforçada pelo milho híbrido em 1975.
Patos de Minas é um município brasileiro do estado de Minas Gerais.
Está situada na região intermediária às regiões do Mesorregião do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Considerada pólo econômico regional, lidera a microrregião do Alto Paranaíba que é composta por dez municípios. A cidade ganhou projeção nacional através da Festa Nacional do Milho realizada no mês de maio, movimentando vários setores da economia
As suas principais atividades econômicas são a agropecuária e a agricultura.
Patos de Minas ocupa uma posição privilegiada no ranking das cidades mineiras, figurando entre as 20 maiores cidades do Estado de Minas Gerais em arrecadação geral de tributos do estado e a 16ª maior cidade de Minas Gerais em população.
Um levantamento feito pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA) e publicado pela revista Veja em 2001 apontou Patos como o quinto município com maior desenvolvimento socioeconômico, entre 1970 e 1996. Foram pesquisados cinco mil municípios brasileiros, de 50 a 500 mil habitantes. Patos é a décima segunda cidade com maior população do estado de Minas Gerais.
Vários fatores contribuem para o sucesso econômico e social do município, entre eles a localização estratégica, que liga a cidade a grandes centros comerciais como São Paulo, Uberlândia e Belo Horizonte, facilitando o intercâmbio comercial, o desenvolvimento ordenado e a qualidade de vida da populaçã.
Agropecuária









A agropecuária é a principal atividade econômica da cidade de Patos de Minas.
A agricultura é bastante diversificada com produção de grãos e hortifrutigranjeiros. Os produtos que se destacam são o milho, arroz, soja, feijão, café, maracujá, tomate e horticultura.
O município e região possuem modernos sistemas de irrigação de lavouras. Patos de Minas é considerada modelo nesse sistema, com destaque até mesmo pelo página da Universidade da Califórnia, EUA.
A bovinocultura possui significativa importância econômica e social para o município, com um rebanho de 180 mil cabeças (levantamento Pref. Municipal - ano 2000). Patos também é considerada pólo nacional de genética suína, detendo 70% da tecnologia nacional em melhoramentos suínos.
O negócio no campo ganhou tanto status por aqui que mereceu recentemente reportagem de capa na Revista Exame (14 de Novembro de 2001) intitulada "Virada no Campo".
Com 442 indústrias e 2.108 estabelecimentos comerciais, o município participa com 0,38% da arrecadação do ICMS no Estado de Minas Gerais. Somando-se a outras receitas, ocupa o 19º lugar na arrecadação geral do Estado. Patos de Minas é tida como referência na prestação de serviços para diversos municípios do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Nas décadas de 80 e
90 o crescimento deste setor somou mais de
130%.
*********marimaura*********