OLÁ....SEJAM BEM VINDOS!!!!!...

Queridos professores, alunos, amigos, visitantes e parceiros profissionais..

Este Blog é composto de vários tipos de textos, dentre eles: Textos Pessoais, científicos, religiosos e textos históricos.

MATÉRIAS COMENTADAS: Psicopedagogia, filosofia, teologia, sociologia, educação, cultura, lazer, diversão, pensamentos, reflexões, dicas de beleza, receitas.......e meus monólogos.......

UMA VISÃO CRÍTICA DA REALIDADE...

Este Blog espera ser um espaço de liberdade de expressão para todos os admiradores e que acompanham o desenvolvimento da educação no Brasil. Aqui discutiremos, constantemente como os povos e sociedades ao longo de toda a história da humanidade, lutam em busca de melhorias na educação, enfim, ambiente de conversas sobre usos dos novos meios de informação e comunicação em educação.
Espero ansiosa suas colaborações e acima de tudo sua criticidade objetiva.
Ressaltando que, alguns textos e imagens aqui postados não são de minha autoria, se são seus, ou se você conhece autoria, entre em contato que ficarei feliz em dar os devidos créditos.
A leitura e a reescrita das temáticas sugeridas neste blog, serão para todos nós instrumentos de avaliação, onde educador e educando se relacionarão, e aperfeiçoarão seus conhecimentos e experiências cognitivas.

Entre e fique a vontade.
Boa navegação e pesquisa.

Psicopedagoga : Maria Maura

Contato:
marimaura@hotmail.com
marimaura@gmail.com




quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Amizades são feitas de pedacinhos



AMIZADES são feitas de pedacinhos.Pedacinhos de tempo que vivemos com cada pessoa.Não importa a quantidade de tempo que passamos com cada amigo,mas a qualidade do tempo que vivemos com ele...
Cinco minutos podem ter uma importância muito maior do que um dia inteiro.Assim,há amizades que são feitas de risos e dores compartilhadas...Outras de escola...Outras de saídas, cinemas, diversões...Há ainda aquelas que nascem e a gente nem sabe de quê, mas que estão presentes.Talvez essas sejam feitas de silêncios compreendidos,ou de simpatia mútua sem explicação.
Hoje em dia, muitas amizades são feitas só de e-mails...São as famosas "amizades virtuais".
Diferentes até,mas não menos importantes.
Aprendemos a amar as pessoas sem o julgamento da aparência ou modo de ser...Sem etiquetas ou títulos. Amigos de verdade não precisam disso! O tempo que passamos com os amigos de verdade não é tempo gasto..
É tempo ganho,aproveitado,vivido..."
Cidinha Neves

Adaptação:
*****************marimaura*****************

Distúrbios de Aprendizagem


DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM


Atividade1: Reflita sobre o tema Aprendizagem e escolarização e elabora um pequeno resumo distinguindo a aprendizagem na vida cotidiana e a aprendizagem oriunda da escolarização.

O processo de escolarização é resultado de desenvolvimento e aptidões e o conhecimento é desencadeado a partir da motivação que o aluno tem dentro da sala de aula; esse processo se da no interior do sujeito, ligado às relações que estabelecem com o meio escolar, colegas e professores.
A aprendizagem na vida cotidiana é o processo, através do qual a criança se apropria daquilo que seu grupo social conhece. Isso da se, através da interação com outros seres humanos, especialmente com os adultos e com as outras crianças mais experientes; esse processo inicia se, desde o nascimento, ou antes, mesmo de a criança nascer, e vai se ampliando gradativamente as formas de lidar com o mundo. A aprendizagem é um processo evolutivo e constante, que implica uma série de modificações, a criança não aprende em função do outro, mas em função dela mesma, de sua auto-estima, porém tanto o professor, quanto a família são imprescindíveis para o sucesso da mesma.


*******************marimaura*******************

domingo, 26 de setembro de 2010

Ideologia



Como todo ser humano aprendi a lidar com o sofrimento, e a tirar proveito até das perdas que a vida me proporcionou. Aquilo que muitas vezes não conseguia enxergar por uma porta inteira aberta, teve que perder uma importante pessoa, grande parte da minha vida para poder continuar seguindo por essa trilha, e hoje consigo enxergar por uma pequena, tão grande janela aquilo que não enxergava antes por aquela porta, aprendi a tomar decisões, a respeitar mais as pessoas fechadas em seu mundo e a ajudá-las sem questionar e esperar que vá receber algo em troca, amar incondicionalmente.



“IDEOLOGIA, é o conjunto de formação das idéias mais gerais na sociedade e as mais particulares na moral, tanto do ponto de vista psicológico quanto do ponto de vista social, sendo o conhecimento científico das leis necessárias do real, e sendo o corretivo das idéias comuns de uma sociedade, a ideologia enquanto teoria passa a ter um papel de comando sobre a prática dos homens”.

(Chauí, 1980:110/27).



“As pequenas grandes oportunidades da vida são recados graças e chances que nos vem de Deus. Desperdiçar este rico material, único e insubstituível é uma ingratidão para com Deus, pois um largo caminho se abre descortinando maravilhosas paisagens. É só seguir em frente ao ritmo da fé, da esperança, peregrinado sempre, pé na terra e olhos no céu, sonhando com infinito, dialogando com os irmãos de caminhada. E as aves no espaço tecendo fundo musical.” (SCHNEIDER, 1987; 76/77)

A narrativa sobre o passado veio fácil, sem suturas, como o desenrolar dos fios de uma só meada, sem emaranhados, claramente, sem nós, complacente persegui, ao me aproximar do presente senti o efeito mágico da autobiografia, a construção do presente como soma total do passado, do passado como prognóstico do futuro. Entre a recapitulação e a recordação consegui ser o sujeito dessa narrativa. Sigo a trilha das superações deixando emergir as pontas dos avanços sem me adentrar nos insucessos e erros vividos e nos sofrimentos que lhe são próprios ao tentar superar as contradições que caracterizam os momentos de decisão.


Maura

Fragmentos do memorial de graduação em pedagogia

Daquilo que eu sei...


MENSAGEM

Daquilo que eu sei
Nem tudo me deu clareza
Nem tudo foi permitido
Nem tudo me deu certeza
Daquilo que eu sei
Nem tudo foi proibido
Nem tudo me foi possível
Nem tudo me foi concedido
Não fechei os olhos
Não tapei os ouvidos
Cheirei, toquei, provei.
Ah! Eu usei todos os sentidos
Só não lavei as mãos
E é por isso que eu me sinto cada vez mais limpo
Limpo...

(Ivan Lins)

*************marimaura**************

sábado, 11 de setembro de 2010

Estudos e pesquisas em viçosa


Estudando em Viçosa, PRÓ _ CIÊNCIA.....Mão na Massa,

Entrem, a casa é sua .......Visitem , deixem seus recadinhos ,fikem a vontade , retornarei dia 29/09


Beijos a todos os que por aki passarem ...

Que JESUS o abençõe sempre .

Abraço carinhoso.

Beijos!!!!

Maura

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Alimentação Saudável



ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Uma boa alimentação é sinônimo de uma vida saudável. Por ser um fator ligado diretamente à saúde das pessoas, o Ministério da Saúde tem o compromisso de zelar pela alimentação dos brasileiros e, para isso, é necessário que todos se alimentem bem
ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL
Os propósitos da política são:
:: Garantir a qualidade dos alimentos colocados para o consumo no País.
:: Promover práticas alimentares saudáveis.
:: Prevenir e controlar os distúrbios nutricionais.

Saúde e saneamento básico

Definição

Saneamento básico é um conjunto de procedimentos adotados numa determinada região que visa proporcionar uma situação higiênica saudável para os habitantes.
Entre os procedimentos do saneamento básico, podemos citar: tratamento de água, canalização e tratamento de esgotos, limpeza pública de ruas e avenidas, coleta e tratamento de resíduos orgânicos (em aterros sanitários regularizados) e materias (através da reciclagem).
Com estas medidas de saneamento básico, é possível garantir melhores condições de saúde para as pessoas, evitando a contaminação e proliferação de doenças. Ao mesmo tempo, garante-se a preservação do meio ambiente.

Falta de saneamento é responsável por 68% das internações nos hospitais públicos
A falta de saneamento básico além de prejudicar a saúde da população, eleva os gastos da saúde com o tratamento às vítimas de doenças causadas pela falta de abastecimento de água adequado, sistema de tratamento de esgoto e coleta de lixo. Segundo estudo da Coordenação de Pós graduação e Pesquisa em Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 68% das internações nos hospitais públicos são decorrentes de doenças provocadas por água contaminada.

Reciclagem
Reciclagem de lixo, plástico, reciclagem de alumínio, reciclagem de papel,
respeito ao meio-ambiente, coleta seletiva de lixo, reciclagem de plástico

Símbolo Internacional da reciclagem
Introdução
Reciclar significa transformar objetos materiais usados em novos produtos para o consumo. Esta necessidade foi despertada pelos seres humanos, a partir do momento em que se verificou os benefícios que este procedimento trás para o planeta Terra.
Importância e vantangens da reciclagem
A partir da década de 1980, a produção de embalagens e produtos descartáveis aumentou significativamente, assim como a produção de lixo, principalmente nos países desenvolvidos. Muitos governos e ONGs estão cobrando de empresas posturas responsáveis: o crescimento econômico deve estar aliado à preservação do meio ambiente. Atividades como campanhas de coleta seletiva de lixo e reciclagem de alumínio e papel, já são comuns em várias partes do mundo.
No processo de reciclagem, que além de preservar o meio ambiente também gera riquezas, os materiais mais reciclados são o vidro, o alumínio, o papel e o plástico. Esta reciclagem contribui para a diminuição significativa da poluição do solo, da água e do ar. Muitas indústrias estão reciclando materiais como uma forma de reduzir os custos de produção.
Um outro benefício da reciclagem é a quantidade de empregos que ela tem gerado nas grandes cidades. Muitos desempregados estão buscando trabalho neste setor e conseguindo renda para manterem suas famílias. Cooperativas de catadores de papel e alumínio já são uma boa realidade nos centros urbanos do Brasil.
Muitos materiais como, por exemplo, o alumínio pode ser reciclado com um nível de reaproveitamento de quase 100%. Derretido, ele retorna para as linhas de produção das indústrias de embalagens, reduzindo os custos para as empresas.
Muitas campanhas educativas têm despertado a atenção para o problema do lixo nas grandes cidades. Cada vez mais, os centros urbanos, com grande crescimento populacional, tem encontrado dificuldades em conseguir locais para instalarem depósitos de lixo. Portanto, a reciclagem apresenta-se como uma solução viável economicamente, além de ser ambientalmente correta. Nas escolas, muitos alunos são orientados pelos professores a separarem o lixo em suas residências. Outro dado interessante é que já é comum nos grandes condomínios a reciclagem do lixo.

Símbolos da reciclagem por material
Assim como nas cidades, na zona rural a reciclagem também acontece. O lixo orgânico é utilizado na fabricação de adubo orgânico para ser utilizado na agricultura.
Como podemos observar, se o homem souber utilizar os recursos da natureza, poderemos ter , muito em breve, um mundo mais limpo e mais desenvolvido. Desta forma, poderemos conquistar o tão sonhado desenvolvimento sustentável do planeta.
Exemplos de Produtos Recicláveis
- Vidro: potes de alimentos (azeitonas, milho, requijão, etc), garrafas, frascos de medicamentos, cacos de vidro.
- Papel: jornais, revistas, folhetos, caixas de papelão, embalagens de papel.
- Metal: latas de alumínio, latas de aço, pregos, tampas, tubos de pasta, cobre, alumínio.
- Plástico: potes de plástico, garrafas PET, sacos pláticos, embalagens e sacolas de supermercado.
*****************marimaura****************

terça-feira, 7 de setembro de 2010

A independência do Brasil e o Território Nacional


A independência do Brasil e o Território Nacional

História das representações e das relações de poder
Introdução

Conteúdo
Nações, povos, lutas, guerras e revoluções

O estudo do processo de Independência do Brasil, que tem um importante ponto de inflexão em 1822, é uma boa oportunidade para aguçar o olhar do estudante para uma importante questão: o tamanho do Brasil. Se observarmos o mapa da América Latina atual, veremos que o território brasileiro é consideravelmente maior do que os territórios nacionais dos países de língua castelhana, por exemplo. Por que será que, historicamente, os antigos territórios coloniais ibéricos na América se desenvolveram assim, de maneira tão distinta?

No caso do Brasil, a ruptura com a metrópole se deu de forma pacífica, distante dos centros de poder e de participação popular. Além disso, a sociedade brasileira manteve sua estrutura política, econômica e social praticamente intacta. Por fim, a unidade do território não se alterou em relação ao período colonial. Tais características tiveram uma forte razão: o processo de independência foi empreendido por quem já estava no poder. Mas esta não era a única possibilidade naquele momento histórico...

Os acontecimentos europeus contribuíram para a vinda da família real portuguesa ao Brasil em 1808. A luta pela independência, porém, já podia ser observada em várias regiões do Brasil. Em 1789 (mesmo ano do início da Revolução Francesa), houve a Inconfidência Mineira, que exigia a independência da região das minas, incorporando saídas ao mar. Outros exemplos são a Conjuração Baiana, de 1798 (reivindicando a independência da Bahia) e a Revolução Pernambucana de 1817, exigindo o mesmo para o Nordeste da América Portuguesa. E mesmo depois de 1822, a Independência não foi aceita de imediato em todas as partes do novo país que se estava criando.

No norte do Brasil, uma série de revoltas marcou este intento de permanecer fiel à administração portuguesa. Em 1824, outro forte movimento ocorreu, dessa vez no Nordeste: a Confederação do Equador. Uma das principais diferenças desses movimentos em relação ao que foi empreendido principalmente por D. Pedro era o caráter provincial, regional. Nenhum desses movimentos partia de uma identidade nacional. O príncipe-regente, por sua vez, pôde unificar todo o território já que, para quem estava no poder ainda no período colonial, o Brasil era desde o seu princípio um único país – e – de dimensões continentais.

Objetivos
- Compreender a declaração de independência do Brasil, em 1822, como parte de um processo histórico maior.
- Explicar as intenções políticas de movimentos de contestação da administração colonial e imperial do Brasil
- Compreender que a unidade territorial do Brasil deriva de um processo de independência empreendido "de cima para baixo".
- Analisar mapas históricos e geográficos.
- Compreender a unidade de diferentes acontecimentos associados a uma conjuntura.
- Operar com a noção de transformação conservadora.

Materiais
Livros didáticos de História
Mapas históricos e políticos atuais da América do Sul

Duração
4 ou 5 aulas

Desenvolvimento
O professor pode iniciar a aula apresentando aos alunos dois mapas da América. O primeiro é de um artigo de José Murilo de Carvalho, publicado no site da Revista de História da Biblioteca Nacional.

Nesse artigo, intitulado “E se D. João VI não tivesse vindo?”, o historiador procura fazer um exercício de imaginação: o que poderia ter acontecido caso a família real portuguesa não viesse para o Brasil. O texto trata também de acontecimentos europeus que antecederam a Independência do Brasil e, por isso, pode ser uma excelente fonte de informações tanto para os alunos como para o professor. O mapa é uma boa ferramenta pois retrata a atual configuração política do território americano e faz referência à antiga demarcação colonial portuguesa.

O segundo mapa foi retirado da enciclopédia eletrônica livre, a Wikipédia, no verbete “Brasil – Período Colonial” e retrata a divisão dos territórios coloniais sul-americanos em 1700. Caso você possua a ferramenta da internet na sala de aula, este mapa também possui versão animada, em que é possível observar as mudanças de fronteiras de 1700 a 2000 e consegue atingir perfeitamente o objetivo de demonstrar a diferença “geográfica” desses processos de independência: enquanto o território brasileiro se mantém praticamente intacto, o território da antiga colônia espanhola se divide à medida que avançamos para o presente.

1ª atividade
Apresente inicialmente aos alunos o mapa do artigo de José Murilo de Carvalho. Você pode perguntar à classe: “o que esse mapa nos mostra? A que região do mundo ele se refere?”. Aguarde dos alunos as manifestações de que “esse mapa está errado”, “cadê o Brasil?!”. Diante desses estranhamentos, você pode explicar aos alunos que o mapa é fruto de um exercício de imaginação de um importante historiador brasileiro... Afinal, o que justifica esse mapa é justamente o exercício de imaginação do que poderia ter ocorrido caso a família real portuguesa não tivesse vindo ao Brasil em 1808. José Murilo de Carvalho nos chama a atenção para o fato de que os vários movimentos de independência regional que existiam na América Portuguesa não teriam sido sufocados, o que teria dado origem a cinco países no lugar do Brasil. Você pode, inclusive, fazer uma leitura compartilhada deste texto com os alunos, ressaltando seu caráter imaginativo.

Apresente então o outro mapa animado (caso disponha em sua escola dessa ferramenta) ou então um mapa político atual da América do Sul (e Central).

A partir dos mapas, você pode propor aos alunos que os observem identificando todas as diferenças que eles podem ver entre os países das antigas colônias portuguesa e espanhola. Lance aos alunos algumas perguntas de identificação de informações (relativas ao mapa real e atual das Américas do Sul e Central): em quantos países cada colônia se transformou? Desses países, qual é o maior? E qual é o menor? Em que antiga colônia eles se situam?

A partir daqui é possível começar a questionar os alunos: “de onde José Murilo de Carvalho tirou a idéia de que o Brasil estaria dividido em vários países caso a família real portuguesa não tivesse vindo para cá?”

2ª atividade
Essa pergunta suscitará a segunda atividade desta seqüência. Agora os alunos farão uma pesquisa contextualizada para saber um pouco mais sobre os movimentos que poderiam, na História do Brasil, ter dado origem a repúblicas independentes.

Você pode dividir os alunos em 4 grupos, entregar a eles alguns livros didáticos e pedir que cada grupo pesquise sobre um movimento que reivindicava a independência em relação a Portugal durante o período colonial: a Inconfidência Mineira, a Conjuração Baiana e a Confederação do Equador (esta já no período imperial do Brasil independente), por exemplo. O quarto grupo poderia pesquisar sobre movimentos de resistência à Independência. Cada grupo deve ter uma pauta de pesquisa:
- O que este movimento reivindicava?
- Os revoltosos queriam a independência do Brasil inteiro? Por quê?
- Os revoltosos queriam instituir que tipo de regime político?
- Se este movimento tivesse conseguido vencer as forças da administração central, o que teria acontecido, provavelmente? Por quê?

O objetivo é que cada grupo possa identificar que independência cada movimento queria ou chegou até mesmo a conquistar por um breve período. Isso os levará a identificar que esses movimentos queriam a independência de cada uma dessas regiões.

3ª atividade
Os grupos teriam de apresentar os resultados de suas pesquisas para seus colegas de classe, que podem estar dispostos em um grande círculo. Você pode propor que eles preencham um quadro-síntese desses movimentos, que ajude a turma toda a chegar às conclusões pertinentes à seqüência. Na apresentação dos grupos pode brotar uma discussão interessante: se assim era, o que aconteceu para que o território da América Portuguesa, afinal, não se dividisse?

A seqüência didática terminaria então com a idéia de que a América Portuguesa inteira "virou Brasil" graças a uma independência encabeçada pelo príncipe-regente, ou seja, por quem já governava o território, ao contrário do que acontecera com a América Espanhola. Neste ponto, o professor pode optar em se aprofundar com os alunos sobre a conjuntura e os acontecimentos que envolveram o processo de Independência do Brasil e as independências da América Espanhola.

Quer saber mais?


BIBLIOGRAFIA
CARVALHO, José Murilo de. “E D. João resolve...ficar! Um exercício imaginário sobre os destinos do Brasil caso a Corte não tivesse vindo. Aliás, que Brasil?”. Publicado no site da Revista de História da Biblioteca Nacional, 01/05/2008.

Confira no site da Secretaria de Educação da Cidade do Rio de Janeiro, uma seqüência de textos que vão desde os acontecimentos europeus e a crise de Portugal, passam pela discussão política que ocorria no Brasil, até as guerras de independência, em especial no Norte, Maranhão e Grão-Pará.

Outra importante fonte é o clássico trabalho dos historiadores Fernando Novais e Carlos Guilherme Mota:
MOTA, Carlos Guilherme; NOVAIS, Fernando. Independência Política do Brasil. São Paulo: Hucitec, 1996, 96p.

*********************marimaura*******************

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Sete de Setembro , Pátria Amada!!!


Compreendendo o Hino Nacional Brasileiro

Você conhece o Hino Nacional???
Você entende o que ele diz???

Então leia com atenção.

Setembro, mês da Pátria. Dia 7 de Setembro é o dia das paradas militares e o dia de comemorar nossa independência. Na verdade, para a Pátria devem ser todos os dias. O Hino Nacional é o dos principais patrimônios lingüísticos, semiológicos e patrióticos. Pela bela música e pelos belos versos, vale à pena conhecer melhor nosso hino. Ultimamente a gente só tem ouvido nos eventos esportivos, quando um brasileiro sobe ao pódium ou quando a Seleção de Futebol inicia uma partida oficial internacional. Este trabalho de Wayne Tobelem dos Santos tem vários méritos: traduz em linguagem simples os significados literais e poéticos do texto; estimula o enriquecimento do vocabulário; provoca um debate nacional em torno de cidadania; e ajuda a resgatar nossa auto-estima enquanto cidadãos brasileiros.



Hino Nacional Brasileiro
Letra: Joaquim Osório Duque Estrada

Música: Francisco Manuel da Silva

A música de Francisco Manuel da Silva, provavelmente composta em 1831, foi oficializada somente no segundo ano da República (1890) e sua letra, autoria de Osório Duque Estrada, adotada oficialmente em 1922.

Clique aqui para ouvir o Hino

Ouviram do Ipiranga às margens plácidas
De um povo heróico o brado retumbante


Às margens plácidas do (rio) Ipiranga ouviram o brado retumbante de um povo heróico.

Plácido quer dizer calmo. Dom Pedro I vinha de Santos, ao longo do rio Ipiranga, quando tomou a corajosa decisão de declarar a independêcia do Brasil.

Brado é grito. Retumbante é estrondoso, barulhento, para fazer um constraste com a placidez das margens.

Poderíamos parafrasear (escrever de outra forma) este verso assim:

“Às margens calmas do rio Ipiranga ouviram o grito estrondoso de um herói (Dom Pedro I), que representava todo o povo brasileiro.”

O riacho Ipiranga nasce junto ao Zoológico de São Paulo. Era de costume na época inverterem-se as frases à moda latina.

E o sol da liberdade em raios fúlgidos
Brilhou no céu da Pátria nesse instante.
Fúlgido significa brilhante.

Mas não dava pra dizer: “raios brilhantes brilhavam” porque iria parecer repetitivo e pobre. O grito de “Independêcia ou Morte!!!” transformava uma nação colonial, independente de Portugal, em um novo país autônomo e livre. Duque Estrada compara a liberdade a um sol brilhante que ilumina o céu (Pátria), antes obscurecida pelo colonialismo.


Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó liberdade,
Desafia o nosso peito à própria morte!

Penhor equivale a garantia, segurança. É comum a gente penhorar algo de valor (em troca de dinheiro) e receber um papel que garanta a recuperação daquilo que foi penhorado. O Brasil passou a ser independente e, portanto, conquistou o penhor da igualdade, ou seja, daquele momento em diante, Portugal e Brasil eram nações iguais, sem que uma fosse superior à outra. E a frase continua, dizendo: o nosso peito desafia a própria morte.

Simplificando: agora que o povo brasileiro conquistou seu passe para a liberdade, através de sua força e coragem, inspirado nesta nova liberdade não hesitará em enfretar a própria morte (isto é, se tiver de lutar e morrer, o povo não sentirá medo). A frase pode ser reescrita assim:

“através de nossa coragem conquistamos uma igualdade de condição com quem antes era nosso colonizador e, para manter esta situação de liberdade, estamos prontos a sacrificar a própria vida.”


Ó Pátria Amada,
Idolatrada
Salve! salve!

Idolatrar é transformar algo ou alguém em ídolo, como se costuma fazer com artistas de modo geral. Salve equivale a uma saudação. Originalmente se dizia:

“Deus te salve!”


Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
De amor e de esperança à terra desce,
Se em teu formoso céu risonho e límpido
A imagem do Cruzeiro resplandece!

Vívido é intenso, ardente, vivo. Formoso é belo. Límpido siginifica transparente, claro. Resplandecer equivale a brilhar ou luzir intensamente. Aqui o poeta compara o Brasil a um sonho intenso, porque ainda tem muito a realizar. Sabe-se que o Cruzeiro do Sul é uma constelação que aparece no céu do Brasil. Ela tem a forma de cruz, que nos lembra Jesus Cristo e as práticas cristãs. Portanto, vamos refazer os versos para entender o sentido:

“O Brasil é como um sonho intenso e, já que em nosso céu límpido a cruz de Cristo resplandece, desta cruz desce um raio brilhante que ilumina o Brasil. Ou seja, o Brasil está sob o amparo e a proteção de Cristo.”


Gigante pela própria natureza
És belo, és forte impávido colosso,
E teu futuro espelha essa grandeza.

Se você olhar o mapa mundial, vai notar que o Brasil é o quinto maior país do mundo (depois de Rússia, Canadá, Estados Unidos e China). Com mais de 8.500.000 de Km², o Brasil é naturalmente gigantesco.

Note que às vezes os poetas têm o costume de falar diretamente com as coisas, como se elas fossem pessoas: “és belo, és forte…”

Impávido siginifica sem medo: destemido, corajoso. Colosso é uma pessoa ou objeto de tamanho muito grande.

Vamos reescrever a frase:

“Tu (Brasil), és belo, forte e, graças ao tamanho imenso que a natureza te deu, não tens medo de nada. Além disso, a tua grandeza de hoje vai se revelar no futuro.”


Terra adorada, entre outras mil,
És tu Brasil, ó pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada, Brasil!

Este trecho é mais fácil de se entender, embora também utilize algumas inversões:

“Brasil, tu és nossa terra adorada e te escolhemos entre outras mil terras; tu és nossa pátria amada, mãe gentil (carinhosa) dos filhos deste solo (de nós, brasileiros).”

Deitado eternamente em berço esplêndido
Ao som do mar e à luz do céu profundo,
Fulguras, ó Brasil, florão da América,
Iluminado ao sol do Novo Mundo!

Esplêndido é maravilhoso, deslumbrante. Fulgurar é brilhar, resplandecer. Também pode significar distinguir-se ou sobressair (entre outros). Florão é uma decoração bonita e grande em forma de flor.

A idéia que Duque Estrada quer transmitir é a de que a localização geográfica do Brasil é mesmo muito privilegiada: as montanhas, as matas, os rios, toda a natureza formam a imagem de um berço (porque, além do mais, o Brasil, uma nação que se tornara recentemente independente, era como um imenso país recém-nascido).

“Ao som do mar“, porque temos um litoral vasto com belíssimas praias; “e a luz do céu profundo“, isto é, ensolarado, típico dos trópicos.

O “sol do Novo Mundo” coloca o Brasil mais uma vez como uma nação jovem e promissora. O velho mundo (Europa) conquistou e colonizou o novo mundo (América).

Vamos reescrever:

“Brasil, tu possuis uma localização espetacular, com uma natureza rica, muito mar e sol. Por isso, entre outras nações da América (Novo Mundo), tu te destacas como um florão.”


Do que a terra mais garrida
Teus risonhos lindos campos têm mais flores,
“Nossos bosques têm mais vida”,
“Nossa vida” no teu seio, “mais amores”.

Garrida é colorida, alegre, vistosa.

Teus risonhos lindos campos têm mais flores do que a terra mais garrida (vistosa). Ou seja, nossa natureza é mais colorida e bela que a de outras terras.

Nossos bosques têm mais vida (mais beleza e vitalidade).

Nossa vida, em teu seio (dentro de ti, Brasil), mais amores. Equivale a dizer que nós, brasileiros, por vivermos no Brasil, somos mais capazes de amar.

As aspas são usadas por Duque Estradas no original, pois representam citações dos versos de Gonçalves Dias em “Canção do Exílio”:

Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o sabiá…
…Nossos céu tem mais estrelas,
Nossas varzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Ó Pátria Amada,
Idolatrada
Salve! salve!

Idolatrar é transformar algo ou alguém em ídolo, como se costuma fazer com artistas de modo geral. Salve equivale a uma saudação. Originalmente se dizia:

“Deus te salve!”



Brasil, de amor eterno seja símbolo
O lábaro que ostentas estrelado

Ostentar é mostrar com orgulho.

Um lábaro era um estandarte muito usado pelos romanos e aqui está representado por nossa bandeira, repleta de estrelas. O Poeta compara a bandeira a um estandarte e deseja que ele represente o amor eterno.

O verso está invertido. Deve-se ler:

“Brasil, o lábaro que ostentas estrelelado seja símbolo de amor eterno”

O poeta está tentando dizer:

“Tomara que as estrelas da tua bandeira sejam símbolo de amor eterno”.


E diga ao verde-louro desta flâmula
Paz no futuro e glória no passado

Flâmula aqui, é sinônimo de bandeira. O louro é uma planta. Com seus galhos e folhas os imperadores romanos eram coroados. Portanto, simboliza poder e glória. Mais uma vez, vamos olhar para a bandeira. Duque Estrada torce para que o louro da bandeira simbolize um poder que venceu batalhas gloriosas no passado, quando isso foi necessário para se conseguir a independência, mas só deseja paz daquele momento em diante, pois o verde, além de esperança, também simboliza a paz.


Mas se ergues da justiça a clava forte
Verás que o filho teu não foge à luta,
Nem teme quem te adora a própria morte

Clava é um pedaço de pau pesado (mais grosso numa ponta que na outra), que era usado como arma.

Vimos que, no verso anterior, o poeta sonha com a paz no futuro.

De repente, entretanto, este novo verso diz:

“Mas se ergues (levantas) a clava forte da justiça, ou seja, se o país tiver de lutar contra a injustiça, verás que um brasileiro (filho teu) não foge à luta (enfrenta a guerra).”

E quem te adora não teme nem a própria morte, quer dizer, os brasileiros adoram tanto o seu país que seriam capazes de sacrificar suas próprias vidas para defendê-lo.


Terra adorada, entre outras mil,
És tu Brasil, ó pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada, Brasil!

Este trecho é mais fácil de se entender, embora também utilize algumas inversões:

“Brasil, tu és nossa terra adorada e te escolhemos entre outras mil terras; tu és nossa pátria amada, mãe gentil (carinhosa) dos filhos deste solo (de nós, brasileiros).”

Bibliografia: Waybe Tobelem dos Santos


Agora que você já sabe o que ele diz, que tal praticar

Clique aqui para ouvir o Hino

Parte I

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
de um povo heróico o brado retumbante,
e o sol da liberdade, em raios fúlgidos,
brilhou no céu da pátria nesse instante.

Se o penhor dessa igualdade
conseguimos conquistar com braço forte,
em teu seio, ó liberdade,
desafia o nosso peito a própria morte!

Ó Pátria amada,
idolatrada,
salve! Salve!

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
de amor e de esperança à terra desce,
se em teu formoso céu, risonho e límpido,
a imagem do cruzeiro resplandece.

Gigante pela própria natureza,
és belo, és forte, impávido colosso,
e teu futuro espelha essa grandeza.
Terra adorada,
entre outras mil,
és tu, Brasil,
ó pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
pátria amada,
Brasil!

Parte II

Deitado eternamente em berço esplêndido,
ao som do mar e à luz do céu profundo,
fulguras, ó Brasil, florão da América,
iluminando ao sol do novo mundo!

Do que a terra, mais garrida,
teus risonhos lindos campos têm mais flores;
“Nossos bosques tem mais vida,”
“Nossa vida” no teu seio “mais amores”.
Ó pátria amada,
idolatrada,
salve! Salve!

Brasil, de amor eterno seja símbolo
o lábaro que ostentas estrelado,
e diga o verde-louro dessa flâmula
- paz no futuro e glória no passado.

Mas, se ergues da justiça a clava forte,
verás que um filho teu não foge à luta,
nem teme, quem te adora, a própria morte.
Terra adorada,
entre outras mil,
és tu, Brasil,
ó pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
pátria amada,
Brasil!

marimaura@hotmail.com

Setembro mês da Bíblia


Setembro mês da Bíblia - Testamento de amor!
.


Nela, vamos encontrar os desejos e as intenções de Deus para conosco
"Não só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que procede da boca de Deus" (Mateus 4,4).

A "Bíblia é o Livro dos livros. É a obra mais conhecida em todo o planeta. Também conta com o maior número de traduções dentre todas as obras existentes e está presente no maior número de nações. No entanto, nem sempre nos relacionamos com ela do jeito mais ideal. Estamos no início do mês de setembro, o conhecido e celebrado Mês da Bíblia. É mais uma oportunidade para examinarmos nossa vida e vermos qual é o valor que estamos dando a este livro tão especial e tão importante para todos os que seguem a Jesus, como Caminho, Verdade e Vida.

Bíblia: Testamento de amor!
Este livro é um verdadeiro testamento. E o que é um testamento? É uma carta na qual se colocam as coisas mais íntimas, mais sinceras e mais profundas. É onde se fala com o coração e são relatados os "últimos" desejos de alguém. É onde o pai "divide" os bens entre os filhos e amigos. É o meio pelo qual nós fazemos pedidos e recomendações.

A Bíblia é o Testamento de Amor, a Carta de Amor que Deus Pai deixou para toda a humanidade. É nela que nós vamos encontrar os desejos e as intenções de Deus para conosco. É nela que podemos encontrar as recomendações e os tesouros que Deus tem para nos oferecer. Se nós não abrirmos a ela e não lermos esta "Carta de Amor", não ficaremos sabendo da amizade íntima que Deus quer ter conosco "desde o nascer ao pôr-do-sol".

Pedindo sempre a luz do Espírito Santo e vencendo toda e qualquer preguiça, busquemos ler com fé o Livro Sagrado. E a cada letra, a cada palavra, vamos perceber e ouvir a Voz de Deus que fala ao nosso coração. Nenhuma pessoa consegue sobreviver sem "arroz e feijão", ou seja, sem alimento. Da mesma forma que nenhum seguidor do Senhor consegue viver sem o Alimento da Palavra. Quanto mais intimidade tivermos com ela, tanto mais intimidade teremos com o próprio Senhor. E aí veremos as graças acontecerem como verdadeiros rios de Água Viva, porque a Bíblia é o grande, único e verdadeiro Testamento de Amor.


fonte de pesquisa - canção nova
************marimaura**************
.