OLÁ....SEJAM BEM VINDOS!!!!!...

Queridos professores, alunos, amigos, visitantes e parceiros profissionais..

Este Blog é composto de vários tipos de textos, dentre eles: Textos Pessoais, científicos, religiosos e textos históricos.

MATÉRIAS COMENTADAS: Psicopedagogia, filosofia, teologia, sociologia, educação, cultura, lazer, diversão, pensamentos, reflexões, dicas de beleza, receitas.......e meus monólogos.......

UMA VISÃO CRÍTICA DA REALIDADE...

Este Blog espera ser um espaço de liberdade de expressão para todos os admiradores e que acompanham o desenvolvimento da educação no Brasil. Aqui discutiremos, constantemente como os povos e sociedades ao longo de toda a história da humanidade, lutam em busca de melhorias na educação, enfim, ambiente de conversas sobre usos dos novos meios de informação e comunicação em educação.
Espero ansiosa suas colaborações e acima de tudo sua criticidade objetiva.
Ressaltando que, alguns textos e imagens aqui postados não são de minha autoria, se são seus, ou se você conhece autoria, entre em contato que ficarei feliz em dar os devidos créditos.
A leitura e a reescrita das temáticas sugeridas neste blog, serão para todos nós instrumentos de avaliação, onde educador e educando se relacionarão, e aperfeiçoarão seus conhecimentos e experiências cognitivas.

Entre e fique a vontade.
Boa navegação e pesquisa.

Psicopedagoga : Maria Maura

Contato:
marimaura@hotmail.com
marimaura@gmail.com




terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Fofoca , cuidado ao falar da vida alheia


Quem nunca comentou da vida alheia que atire a primeira pedra.
Seja de um parente , ou de um vizinho.
Fofoca é coisa de pessoas que têm a vida mal resolvida e veem em outros seus próprios problemas... A verdade é que o que acontece fora de casa muitas vezes parece mais interessante do que dentro. E se todo mundo sente esta curiosidade sobre o seu semelhante, por que é que a fofoca se tornou algo tão repudiado ao longo dos anos? A resposta está no moralismo exacerbado que tanto o fofoqueiro quanto o ouvinte costumam lançar mão nestas ocasiões. E o medo de ser o alvo da vez muitas vezes impede a pessoa de fazer o que gostaria, só para não cair na boca do povo.
Por isso que, baseando-se na Doutrina racionalista cristã, pode-se considerar a fofoca, o falar da vida dos outros como um vício. E como vício deve ser extirpado. Fofocar não é coisa para quem tem o que fazer, para quem está preocupado com a própria evolução, com as próprias qualidades e defeitos. Devemos estar voltados para nós mesmos. E é isso que o fofoqueiro não consegue fazer.
“Ele fala do outro para liberar uma angústia pessoal. Se você parar para pensar, o sujeito fala do outro sobre questões que são dele mesmo”. Se, por exemplo, alguém que sofreu na infância com um pai alcoólatra que batia na mulher vir uma situação parecida quando adulto, pode esconder a sua angústia particular através da fofoca, ou seja, essa pessoa procura outros para falar.
Esse mau hábito não é coisa de adulto somente, o site de relacionamentos Orkut, mania dos jovens, nada mais é do que uma grande fofoca. Ali, as pessoas “fuçam” a vida de amigos, ex-namorados, etc. “Acaba até em separação. Tudo por conta da fofoca”.
“O importante é fazer a pessoa tomar consciência de que o que ela faz pode prejudicar a ela mesma, no sentido de que ela não vive a sua vida para viver a de terceiros”, aconselha Patrícia de Andrade. Pessoas próximas podem revestir-se de delicadeza e sutileza para alertar os fofoqueiros. “É uma situação difícil, mas, quando a pessoa estiver falando mal dos outros, você pode perguntar: ‘E aí, o que está acontecendo com você? Como andam as coisas?’”É uma sugestão, numa tentativa de chamar a pessoa para a realidade dela.
Quem fofoca demais acaba virando um chato. É melhor manter distância desse tipo de gente. Não é saudável servir de plateia para quem pode estar com a vida mal resolvida e acaba gastando energia para falar ou julgar a vida dos outros. O melhor mesmo é procurar o que fazer: ler um bom livro, escutar boa música, trabalhar e estudar, além, é claro, de olhar para si próprio.

Cuidado , vamos policiar as nossas palavras.

Pense nisso!!!

Marimaura

Nenhum comentário: