OLÁ....SEJAM BEM VINDOS!!!!!...

Queridos professores, alunos, amigos, visitantes e parceiros profissionais..

Este Blog é composto de vários tipos de textos, dentre eles: Textos Pessoais, científicos, religiosos e textos históricos.

MATÉRIAS COMENTADAS: Psicopedagogia, filosofia, teologia, sociologia, educação, cultura, lazer, diversão, pensamentos, reflexões, dicas de beleza, receitas.......e meus monólogos.......

UMA VISÃO CRÍTICA DA REALIDADE...

Este Blog espera ser um espaço de liberdade de expressão para todos os admiradores e que acompanham o desenvolvimento da educação no Brasil. Aqui discutiremos, constantemente como os povos e sociedades ao longo de toda a história da humanidade, lutam em busca de melhorias na educação, enfim, ambiente de conversas sobre usos dos novos meios de informação e comunicação em educação.
Espero ansiosa suas colaborações e acima de tudo sua criticidade objetiva.
Ressaltando que, alguns textos e imagens aqui postados não são de minha autoria, se são seus, ou se você conhece autoria, entre em contato que ficarei feliz em dar os devidos créditos.
A leitura e a reescrita das temáticas sugeridas neste blog, serão para todos nós instrumentos de avaliação, onde educador e educando se relacionarão, e aperfeiçoarão seus conhecimentos e experiências cognitivas.

Entre e fique a vontade.
Boa navegação e pesquisa.

Psicopedagoga : Maria Maura

Contato:
marimaura@hotmail.com
marimaura@gmail.com




sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Ética e Moral

Etimologicamente ética e moral são palavras sinônimas, termos que podem ser considerados equivalentes। Ambas cuidam de valores. No entanto, há que se estabelecer uma diferença entre elas.

Na moral, se trata de valores consagrados pelos usos e costumes de uma sociedade e, por isso, podem variar de uma sociedade para outra e até mesmo na mesma sociedade através dos tempos.
A Ética é um processo de reflexão crítica, trabalha com valores em conflito, o que implica em uma opção de valores। E isso leva a uma condição indispensável para o exercício ético – a Liberdade (HOSSNE)।






Ética na Filosofia







O termo ética, nasce num contexto filosófico, onde vários pensadores, em diferentes épocas, abordaram assuntos referentes a ele. Por exemplo: Sócrates, Aristóteles, Santo Agostinho, Santo Tomás de Aquino, Kant, Espinoza, Hegel, Kierkergaard, Weber, Nietzsche e Pascal.
Dentre estes, enfatizamos:
Aristóteles com seu pensamento ético, que é ainda hoje uma das bases fundamentais do pensamento humano. É considerado o fundador da disciplina ética. Suas principais obras neste campo é a Ética a Eudemo e a Ética a Nicômaco.
Kant com a doutrina do imperativo categórico। Onde o núcleo afirma que um comportamento pode ser considerado moral quando é universalizável, isto é, quando se prende a uma norma que ultrapassa o caso concreto, a utilidade ou o interesse pessoal।



odo homem antes de ser tocado pela fé, tem a capacidade inata de discernir o bem do mal






A Teologia Moral é uma reflexão que concerne à “moralidade”, ou seja, ao bem e ao mal dos atos humanos e da pessoa que os realiza, e neste sentido, está aberta a todos os homens; porém é também Teologia, enquanto reconhece o princípio e o fim do comportamento moral em Deus।






Fundamentos da Teologia Moral






Para Montesquieu “as leis são relações necessárias que derivam da natureza das coisas”, tanto o termo “lei” como “natural”, possuem um significado análogo, quando se aplicam ao mundo físico ou a um contexto moral।



A Lei Natural




É uma lei que regula aqueles “atos humanos” nos quais estão presentes sempre dois aspectos: primeiro a consciência e liberdade, segundo, uma natureza “humana”।



É mediante os conceitos de natureza humana e de ato consciente e livre que se obtêm uma fundamentação sólida da moralidade। Assim a lei natural se fundamenta não só do lado objetivo – do valor moral que se nos apresenta, mas do lado subjetivo, ou seja, do sujeito racional que experimenta o valor moral।


Pessoa Humana



INTERFACE ENTRE A TEOLOGIA MORAL E A BIOÉTICA – O SERVIÇO À VIDA HUMANA



O termo PESSOA, historicamente assinala a linha de demarcação entre a cultura pagã e a cultura cristã।



(O conceito pessoa foi formulado pela primeira vez, estritamente, na reflexão teológica cristã, ao pensar a fé cristológica e trinitária, sobretudo entre os séc। II-V d।C.).







Antes do cristianismo não existia nem em grego e nem em latim uma palavra para exprimir o conceito de pessoa, pois na cultura clássica tal conceito não existia.
Não se reconhecia o valor absoluto ao indivíduo enquanto tal, este dependia da casta ou da raça
O cristianismo então, cria uma nova dimensão do homem: a de PESSOA ।







Tomás de Aquino, aperfeiçoando a definição de pessoa de Boécio, diz que:
O ser humano é Pessoa desde o momento da sua concepção, e que, portanto, a dignidade da pessoa não depende de qualquer convenção social ou de qualquer código de direito, mas é uma qualidade originária, intangível e perene.
Quem é pessoa é pessoa desde sempre e para sempre: porque isto faz parte da sua própria constituição ontológica। (Mondim)




O princípio da TOTALIDADE UNIFICADA Da Pessoa Humana



Este princípio se fundamenta sobre o fato de que a corporeidade humana é um todo unitário, resultante de partes distintas e entre elas organicamente e hierarquicamente unificadas (o conjunto dos componentes
físicos, espirituais e morais)
da existência única e pessoal।


É à luz da Dignidade da Pessoa Humana, que se afirma a exigência moral de amar e respeitar a pessoa como um fim e nunca como um simples meio
(João Paulo II, Veritatis Splendor, 48)



Dignidade da Pessoa Humana




Constitui uma das raízes prioritárias que configuram a eticidade.
a dignidade humana, é “algo que pertence a todos aqueles que são considerados membros do gênero humano। A Consciência Moral consiste num julgamento prático proferido pela inteligência sobre a honestidade ou desonestidade de cada um dos nossos atos; é um testemunho que, proferido no íntimo de cada pessoa, distingue entre o bem e o mal moral e tende a levar cada qual a praticar o bem e evitar o mal.
Todo homem, por mais primitivo que seja, possui uma consciência moral.
“A alegria de uma boa consciência é o paraíso” (Sto Agostinho)







“A dignidade Humana é um valor transcendente, como tal sempre reconhecido por todos aqueles que se entregam sinceramente à busca da verdade” ( J। Paulo II)


A CONSCIÊNCIA MORAL



A CONSCIÊNCIA MORAL não é algo que o homem cria ou suscita dentro de si. É algo de congênito ou inato, que começa a falar desde que a criança chegue ao uso da razão.
É a voz de Deus no íntimo de cada indivíduo
Todos os povos, mesmo os mais primitivos, reconheceram a existência da Consciência Moral।



Como funciona a Consciência



Basicamente, o princípio que a consciência incute soa assim:
“Pratica o bem e evita o mal”



Consciência e Prudência



A Prudência é a virtude que percebe o apelo à pratica do bem que se deriva da situação concreta do indivíduo ।



A Prudência segundo Aristóteles, envolve além do caráter de cuidado, precaução, uma necessidade de arriscar, de algo que deve ser feito.
É também chamada de sabedoria prática - Phrónesis
Diferente da sabedoria teorética - Sophia
A Prudência enquanto Phronesis, atua no homem levando-o a fazer algo que deve ser feito
Sendo uma virtude que ajuda o homem na formulação de juízos, ela se torna também um dos referenciais da BIOÉटिका


Consciência e autonomia


Kant
Faz uma estreita relação entre a moral e a religião em sua obra Crítica da Razão Prática, onde fundamenta a idéia de Deus, mesmo esta não sendo necessária para fundamentar a moral.
Autonomia é uma exigência imprescindível para a dignidade do homem।


De acordo com a Teologia Moral, a sacralidade da vida humana a torna inviolável, descartando toda e qualquer instrumentalização da pessoa.
A vida humana, já na sua dimensão biológica, é a condição de tudo o que é humano, portanto da vida espiritual, histórica e existêncial da pessoa humana.
A convicção da dignidade, do valor e da autonomia da pessoa, representa um dos elementos qualitativos da proposta antropológica cristã।


A BIOÉTICA mesmo desvinculada de qualquer profissão religiosa, está a serviço da vida nas suas mais diversas manifestações, mas de modo particular da vida humana।

A partir disso, chega-se à conclusão da proximidade que existe entre as duas disciplinas.
E a interface que a vida humana faz entre elas।

...respeita, defende, ama e serve a vida, cada vida humana! Unicamente por esta estrada, encontrarás justiça, progresso, verdadeira liberdade, paz e felicidade!
João Paulo II

Nenhum comentário: